O Benfica saiu de Kiev com a primeira vitória na fase de grupos da Liga dos Campeões e deu um passo em frente na qualificação para a próxima fase. Frente à equipa de Sergei Rebrov, os pupilos de Rui Vitória conquistaram o frio e acumularam mais três pontos. Apesar do triunfo, o apuramento continua longe de estar garantido.

Rui Vitória sabe que não vai ser fácil carimbar o passaporte para os ‘oitavos’. O próprio treinador afirmou que ia ter de jogar quatro finais na Liga dos Campeões. No rescaldo da primeira, o Benfica tem mais motivos para sorrir. Uma vitória fora frente aos campeões da Ucrânia e mais três pontos no fecho da ‘primeira volta’ da fase de grupos.

O calendário da segunda fase de qualificação favorece o Benfica. Depois de ter feito dois jogos fora (Nápoles e Dínamo Kiev), os ‘encarnados’ vão ser anfitriões das ‘desforras’ com os dois clubes. A única viagem do clube da Luz vai ser à Turquia no quinto jogo da fase de grupos. Com um grupo bastante equilibrado, qualquer resultado pode alterar pode inteiro a classificação.

Perante isto, qual é o melhor cenário para a equipa portuguesa ?

A melhor situação possível passa por duas vitórias no Estádio da Luz na ‘segunda volta’ da fase de grupos. A jogar em casa, o Benfica pode contar com todo o apoio dos adeptos para os encontros. Na Ucrânia, a equipa de Rui Vitória demonstrou que é superior ao Dínamo de Kiev, em Portugal a superioridade deve, em condições normais, manter-se.

Do outro lado, o resultado ideal seria um empate entre Besiktas e Nápoles. Com esse conjunto de resultados, os ‘encarnados’ subiam para uma posição de qualificação atrás do Nápoles, mas em igualdade pontual com 7 pontos. Os turcos seguiriam em terceiro com 6 enquanto que o Dínamo ficaria para trás com apenas 1.

Frente ao Besiktas, na quinta jornada, o duelo vai ser mais intenso. A equipa portuguesa vai atrás de ‘vingança’ depois de ter empatado em casa, mas não vai ser fácil. Caso os ‘encarnados’ vençam, chegam, de acordo com a situação hipotética mais favorável, aos 10 pontos e assumem o primeiro lugar. Desta feita, bastaria não perder na recepção ao Nápoles para assegurar a presença na próxima fase da competição.

Estádio da Luz como tónico para o apuramento

Os jogos em casa vão assumir-se como decisivos. Perante os seus adeptos, os ‘encarnados’ vão ter duas ‘finais’ que podem colocar pé e meio na próxima fase da ‘Champions’. Caso consiga conquistar os seis pontos que vão estar em jogo no relvado da Luz, a equipa portuguesa ganha muitos mais argumentos para seguir em frente relegando a liderança do grupo para o último encontro da fase de grupos frente ao Nápoles.

Em caso de derrota ou empate nos encontros caseiros, a situação complica-se bastante. Nesse cenário, o Benfica deixaria de depender apenas de si mesmo e teria de esperar resultados favoráveis dos embates dos seus adversários para poder pensar em passar. O apuramento ficaria mais difícil, mas não impossível.

A próxima jornada pode significar, pelo menos, um apuramento direto para as ‘águias’. Caso o Benfica volte a bater a equipa ucraniana, ganha vantagem sobre a formação de Sergei Rebrov e garante a presença na Liga Europa. O objetivo continua a ser a passagem para a Liga dos Campeões, mas a competição secundária da UEFA não deverá escapar enquanto ‘prémio de consolação’.

A segunda final de Rui Vitória está marcada para dia 1 do próximo mês. O Dínamo de Kiev é, novamente, o opositor nos jogos decisivos do Benfica europeu. Depois da equipa ucraniana, vai ser preciso esperar até dia 23 de novembro para a terceira final ante Besiktas. O derradeiro jogo com o Nápoles está marcado para dia 6 de dezembro, no Estádio da Luz.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.