Pablo Aimar foi confrontado após o jogo com o Hapoel com o pedido dos dirigentes do Benfica para os seus adeptos boicotarem os jogos fora de casa e evitou fazer comentários, sem deixar de sublinhar que o apoio da massa associativa é importante.

“A equipa necessita dos adeptos, mas a direcção tomou essa posição por causa do que se passou em Guimarães e não a vou comentar”, rematou.

Aimar considera ainda “absurdo que se diga que o Benfica não rende por falta de humildade dos jogadores” e promete melhorias para breve.

“As coisas não nos têm saído bem, não é por falta de humildade, como alguns têm dito, mas porque não conseguimos manter a intensidade da época passada ao longo dos noventa minutos”, disse Aimar, realçando a importância da vitória sobre o Hapoel de Telavive, na estreia do Benfica no Grupo B da Liga dos Campeões.

Para o médio criativo dos “encarnados”, o Hapoel é uma equipa que vai ter uma palavra a dizer na “poule” e “irá complicar a vida” também ao Schalke 04 e ao Lyon.

Em relação ao “derby” de domingo com o Sporting, considera que em futebol “ninguém pode prometer a vitória antecipadamente”, mas promete “correr e dar o máximo” para vencer os leões.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.