O Barcelona sofreu para vencer o Dínamo Kiev (2-1), em Camp Nou, na terceira jornada do Grupo G da Liga dos Campeões. Trincão foi suplente utilizado, tendo entrado aos 74 minutos.

Lionel Messi abriu a contagem logo aos quatro minutos, na marcação de uma grande penalidade sofrida pelo próprio. Neshcheret ainda adivinhou o lado, mas não conseguiu travar o forte remate do argentino.

Os catalães voltaram a estar perto do golo, com Pedri a atirar ao ferro e Griezmann, com a baliza escancarada, a rematar à malha lateral. Numa entrada fortíssima do Barcelona, Neshcheret teve de se aplicar para negar o 2-0 a Ansu Fati (14') e a Messi (17').

A primeira oportunidade de real perigo do Dínamo Kiev, que teve várias ausências devido à COVID-19, só surgiu ao minuto 35, com Buyalskyi a obrigar Ter Stegen a uma enorme defesa.

A segunda parte começou com o Dínamo Kiev a marcar, mas foi dada bola fora na totalidade, no cruzamento para o desvio de cabeça de Kedziora.

Acabou por ser o Barcelona a chegar novamente ao golo, desta feita por Piqué (65'), a cabecear com espaço na área após cruzamento de Ansu Fati.

Aos 75 minutos, já com Trincão em campo, Tsygankov fez o golo de honra para o Dínamo Kiev, na recarga a um primeiro remate do recém-entrado Verbic.

Com este resultado, o Barcelona segue na liderança do Grupo G, com nove pontos (três triunfos em três jogos), mais três do que a Juventus (2.º). Já o Dínamo Kiev é terceiro classificado, com um ponto, tal como o Ferencvaros (4.º).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.