Depois de ficar lá perto vários anos, Guardiola consegue levar o Manchester City à primeira final da Liga dos Campeões da história dos 'citizens'.

Depois da vitória no Parque dos Príncipes na semana passada, a equipa inglesa voltou a vencer no seu reduto graças a um bis de Riyad Mahrez e a uma grande exibição da defesa dos 'citizens', com destaque para Rúben Dias que realizou uma enorme exibição.

O jogo podia ter começado praticamente com um penálti a favor do Paris Saint-Germain, com Bjorn Kuipers a apontar para a marca dos 11 metros aos sete minutos por alegada mão de Zinchenko no interior da área.

Contudo, o VAR veio salvar o momento, uma vez que a bola toca em Zinchenko, mas no ombro do jogador do Manchester City. Decisão revertida e o zero permaneceu no marcador, mas não por muito tempo.

O Manchester City colocou-se ainda mais perto da final com Riyad Mahrez a inaugurar o marcador aos 11 minutos.

O argelino apareceu no sítio certo para aproveitar a sobra de um remate de Kevin De Bruyne que embateu na defesa parisiense. Destaque para o início da jogada, com um incrível passe de Ederson, guarda-redes dos 'citizens'.

O PSG podia ter chegado ao empate quando Emerson, aos 19 minutos, não repôs a bola em jogo da melhor forma e o esférico acabou nos pés de Di Maria, que atirou ao lado.

Os parisienses, em desvantagem na eliminatória (3-1), arregaçavam as mangas e tentaram recolocar-se na disputa pelo lugar na final, mas encontraram na defesa do Manchester City, com Rúben Dias em grande destaque, uma barreira muitas vezes intransponível.

Minutos depois do defesa português se meter no caminho de um remate de Herrera, o Manchester City ficou com o bilhete para Istambul praticamente no bolso.

Mahrez, aos 64 minutos, rematou para o fundo das redes de Navas após passe de Phil Foden e colocou os ingleses com uma vantagem de dois golos na partida e de três na eliminatória.

Aos 69 minutos e já com a esperança a desvanecer, o Paris Saint-Germain 'assinou a sua sentença', quando ficou reduzido a dez unidades. Numa discussão com Fernandinho, Di Maria acaba por pisar o brasileiro violentamente fora das quatro linhas e viu o vermelho, uma situação perfeitamente evitável naquela que estava a ser uma grande partida de futebol.

Os nervos começaram a levar a melhor sobre os parisienses que estavam de cabeça perdida e o Manchester City aproveitava, com Phil Foden a atirar uma bola ao poste (78') e De Bruyne a ver o seu remate defendido por Navas aos 76'.

O 3-0 esteve sempre mais perto do que o 2-1, mas o resultado acabou por não mexer mais, garantindo a presença de Bernardo Silva, Rúben Dias e João Cancelo na final de Istambul, no próximo dia 29 de maio.

Os 'citizens' ficam agora à espera do resultado do duelo de amanhã entre Chelsea e Real Madrid para descobrirem o adversário da primeira final da Champions na história do clube.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.