“Não há nada melhor na vida do que ver o nosso esforço recompensado”. Foi assim que o guarda-redes da Juventus começou a conferência de imprensa de antevisão da final da Liga dos Campeões, em Cardiff.

“Seria uma grande alegria erguer o troféu. Não há nada melhor na vida do que ver o nosso esforço recompensado, pois nós trabalhamos e suamos por um objectivo. Sentimos um grande apoio e um grande entusiasmo à nossa volta. Esse é um dos ingredientes extra que, durante os momentos difíceis que possamos ter durante o jogo, nos poderão ajudar a encontrar a criatividade e energia que não sabíamos possuir. Vamos ter de resistir à pressão do Real Madrid e dar o nosso melhor ao longo de todo o jogo”, afirmou Gianluigi Buffon.

Pela frente, o veterano guarda-redes de 39 anos terá um pesadelo chamado Cristiano Ronaldo, avançado português do Real Madrid: “Ronaldo é um exemplo para toda a gente. Eu tenho 39 anos e pensava que não tinha mais nada a aprender do ponto de vista emocional. Mas, para ser honesto, este ano aprendi muito a conversar com o Dani. Era algo que não sucedia há muito tempo. Jogadores como o Dani Alves e o Cristiano Ronaldo já ganharam muita coisa, mas continuam humildes – é bom tê-los por perto, pois podemos aprender muito com eles”.

"Não me coloco no mesmo patamar de Cristiano. Temos papéis completamente diferentes – o meu é defender, o dele é atacar. Somos o oposto um do outro. Tudo o que eu posso fazer é evitar sofrer golos, mas ele pode determinar o desfecho de um jogo. Fico honrado por os media olharem para o jogo de amanhã como um duelo entre mim e o Cristiano, mas a realidade não é essa”, acrescentou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.