Ferland Mendy viveu um episódio dramático no início da carreira, quando ainda sonhava em ser jogador de futebol. Aos 11 anos, os médicos disseram ao atual defesa esquerdo do Real Madrid que podia ficar sem uma perna, depois de uma artrite na anca que degenerou numa infeção.

"Passeis sete anos no PSG, comecei nos sub-11 e lesionei-me antes de entrar na academia. Tinha uma artrite na anca e tive uma infeção e, por isso, tive de ser operado e estive muito tempo no hospital. Estive dois ou três meses engessado. Quando me operaram, o médico veio ver-me e disse-me que o futebol tinha acabado para mim. Chegou inclusive a falar em amputação. Tive de ficar numa cadeira de rodas por muito tempo, mais tarde com muletas e tive de reaprender a andar", recordou o francês, em entrevista ao canal da UEFA.

Apesar do prognóstico do médico, Ferland Mendy acreditou sempre que o seu sonho de ser futebolista não ira acabar ali.

"Andaram comigo um lado para o outro, mas achei que podia voltar a andar logo a seguir. Levantei-me da cadeira e caí logo a seguir. Não tinha energia nas pernas, porque já não mexia as pernas há muito tempo. Mas sempre pensei que o futebol não tinha terminado e disse a todos que ia voltar. A maioria das pessoas achava que era impossível, mas aprendi a andar outra vez e joguei com dores durante quase um ano e meio. Depois fui eleito melhor lateral esquerdo por dois anos consecutivos. Acabou por correr bem", acrescentou.

Depois de brilhar no Lyon, foi contratato pelo Real Madrid, onde é titular na lateral esquerda.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.