O diretor-geral da Associação de Turismo de Lisboa, Vítor Costa, considerou hoje que a escolha da capital portuguesa para acolher a ‘final a oito' da Liga dos Campeões de futebol “é o reconhecimento do prestígio de Portugal”.

“Quando se faz esta opção por Portugal e pela cidade de Lisboa está-se a dar um voto de confiança. Lisboa tem um grande posicionamento e prestígio e isto é um reconhecimento”, afirmou à agência Lusa o diretor-geral da Associação de Turismo de Lisboa, Vítor Costa.

O responsável sublinhou que o impacto direto no turismo da cidade devido a este evento “ainda não está contabilizado”, mas que “será muito inferior” àquele que decorreu da final “espanhola” da Liga dos Campeões de 2014, na qual se defrontaram, no Estádio da Luz, o Real Madrid e o Atlético de Madrid.

“Sabemos que desta vez não haverá público, mas não deixará de vir um grande número de pessoas nas delegações das equipas e do pessoal de apoio. Isso irá garantir alguma lotação aos hotéis. E, nesta altura qualquer número que venha é importante”, sublinhou.

A UEFA anunciou hoje que a cidade de Lisboa vai receber uma inédita ‘final a oito' da Liga dos Campeões, entre 12 e 23 de agosto, com todos os jogos desde os quartos de final a serem disputados no Estádio de Alvalade e Estádio da Luz, que acolhe também a final.

Há ainda a possibilidade de os quatro jogos restantes da segunda mão dos oitavos de final serem também atribuídos às cidades do Porto e de Guimarães.

Estas decisões foram hoje anunciadas após uma reunião do Comité Executivo da UEFA, sobre a recalendarização das competições europeias face à pandemia provocada pelo novo coronavírus.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.