O treinador português José Mourinho ter-se-á dirigido da sua zona técnica para a do seu homólogo do Barcelona, quando este protestou uma acção na área do Inter, levando Mourinho um dedo à têmpora, num sinal de incongruência no protesto de Guardiola.

Este reconheceu que se tratou de um jogo "com muita tensão" à mistura e garantiu que Mourinho não o fará "perder a compostura": "Conheço-o há muito tempo e não vou investir nem um segundo no que se passou para me desgastar. É um bom treinador".

"Somos uma grande instituição e uma referência para muitos jovens. Não vou perder a concentração com isto", acrescentou Guardiola, a propósito do incidente com o treinador português.

Sobre o jogo, insistiu na tecla de que a sua equipa "perdeu muitas bolas que deram origem a contra ataques do Inter", reconhecendo que esta "não soube gerir o tempo e a posse de bola em busca do segundo golo".

Para Guardiola, o Barcelona "não esteve bem no controlo da bola e perdeu bolas fáceis perante uma grande equipa", a qual, disse saber, iria "explorar o contra ataque em profundidade": "Há que felicitar o Inter".

O treinador catalão espera que no jogo da segunda mão em Camp Nou, os 90 minutos "sejam suficientes para uma reviravolta" na eliminatória.

"Durante os últimos 19 meses, conseguimos, muitas vezes, dar a volta. O estádio vai estar cheio e tentaremos a reviravolta, mas, se não conseguirmos, daremos os parabéns ao Inter", observou.

Aludiu, também, à primeira derrota que sofreu com mais de um golo de diferença desde que é treinador do Barcelona, considerando tal como uma "boa notícia", tendo em conta que "há muito que está" no comando técnico dos catalães.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.