É o verdadeiro ‘mata-mata’. Borussia Dortmund e Mónaco defrontam-se pela primeira vez na história das competições europeias, onde vão iniciar a luta por uma vaga nas meias-finais da Liga dos Campeões. Não há um historial de confrontos, mas há muito a dizer no que toca à campanha das duas equipas na presente temporada.

Desde logo uma palavra vem à cabeça, repetidas vezes: golos. Isto porque as duas equipas que esta terça-feira vão medir forças no Signal Iduna Park são autênticas ‘metralhadoras’ – os alemães são a segunda equipa mais goleadora da prova, com 25 golos em oito partidas, apenas menos um que o Barcelona; equipa de Leonardo Jardim é o segundo conjunto mais certeiro na Europa, com 133 golos em 51 jogos na presente temporada, menos sete que a formação de Luis Enrique. Com base nisto, não será arriscado dizer que o 0-0 será o resultado menos provável.

A ajudar à festa estão, ainda que de lados opostos, dois dos pés esquerdos lusos mais talentosos da atualidade - Raphael Guerreiro, autor de um grande golo no clássico de sábado com o Bayern Munique, e Bernardo Silva, uma das figuras máximas do plantel de Jardim – bem como dois dos instintos mais apurados no que toca a golos - Aubameyang (32 golos em 36 jogos esta época) e Falcao (25 remates certeiros em 33 partidas pelos monegascos). Não esquecendo, claro, o surpreendente Kylian Mbappé.

A equipa do Vale do Ruhr chega a esta etapa depois de ter eliminado o Benfica nos oitavos de final mas com o orgulho ferido na sequência da goleada sofrida ante os ‘bávaros’ (4-1) para o campeonato. Tem sido uma época de altos e baixos para o Dortmund na Bundesliga, pelo que todas as atenções estão centradas na Champions. O treinador Thomas Tuchel, contudo, aponta o favoritismo aos adversários e desfaz-se em elogios à formação monegasca.

“Esta equipa do Monaco tem muitos jogadores que me impressionam. É uma equipa muito talentosa, individual e coletivamente. Tem uma mentalidade perfeita. É uma equipa completa. São líderes da liga francesa e têm muita confiança, além de terem um treinador muito bom", afirmou Thomas Tuchel, na conferência de imprensa de antevisão do encontro.

O Dortmund tenta chegar às meias-finais da Champions depois de o ter feito pela última vez em 2012/2013, época em que chegou mesmo a marcar presença na final, acabando derrotado pelo Bayern Munique (1-2). Do outro lado está um Mónaco também ele finalista vencido em 2003/2004, diante do FC Porto de José Mourinho. Esta é, de resto, a segunda participação da equipa do principado nos quartos de final da prova nos últimos três anos.

Para trás ficou uma emotiva eliminatória diante do Manchester City (derrota por 3-5 fora e vitória por 3-1 em casa), a provar que os jogadores que compõem esta equipa compensam a irreverência própria da sua juventude - encontro da segunda mão com os ‘citizens’ terminou com uma média de idades dos jogadores de 22 anos – com um enorme talento e sangue-frio.

Na conferência de antevisão do encontro, Leonardo Jardim não se deixou levar pelos elogios do homólogo alemão. “Sim sim, conheço essas palavras. Somos os melhores do mundo, mas essa não é a minha opinião. Duas equipas com bons jogadores, mas o Dortmund tem vantagem pela experiência internacional”, contrapôs o português.

Sem Bakayoko no meio-campo, o treinador português deverá apostar em João Moutinho para fazer dupla com Fabinho, regozijando-se ainda com o regresso de Falcao, que havia falhado o duelo com o Manchester City. “O regresso do Falcao é importante porque traz mais qualidade e experiência. Passo a passo a equipa a equipa ganha maturidade, os jovens vão crescendo”, salientou.

Borussia Dortmund e Mónaco têm encontro marcado para esta terça-feira, às 19h45, no Signul Iduna Park. O encontro da segunda mão está marcado para 19 de abril.