O Manchester City é o único favorito em apuros para a segunda mão dos quartos de final da Liga dos Campeões em futebol, depois do desaire por 1-0 no reduto do Tottenham, no único duelo 100% inglês.

Enquanto Liverpool (2-0 ao FC Porto), FC Barcelona (1-0 ao United, em Manchester) e Juventus (1-1 com o Ajax, em Amesterdão) encaminharam os seus apuramentos, os ‘citizens’, sem o português Bernardo Silva, falharam no novo estádio dos ‘spurs’.

Um golo do sul-coreano Son, aos 78 minutos, selou o desaire dos ‘citizens’, que acabaram mal um jogo que tinham iniciado pior, ao desperdiçarem um penálti, aos 13, pelo argentino Agüero.

Assim, o Manchester City terá de dar a volta à eliminatória em casa, sempre com a noção de que um golo do adversário - desfalcado do avançado Harry Kane, que se lesionou na primeira mão - obrigará a responder com três.

O conjunto de Pep Guardiola, que esta época já venceu a Supertaça, a Taça da Liga, está na final da Taça de Inglaterra e na luta pela revalidação do título, tem, porém, mais do que argumentos para conseguir um lugar nas meias-finais, repetindo o feito único de 2015/16 – então, caiu face ao Real Madrid.

Por seu lado, o Tottenham, que na ‘Premier League’ luta pelo acesso à ‘Champions’, tenta repetir a longínqua época de 1961/62, em que chegou às meias-finais da então Taça dos Campeões Europeus, para cair perante o Benfica (1-3 fora e 2-1 em casa), que viria a sagrar-se bicampeão (5-3 ao Real Madrid).

Se a emoção deverá ser grande no Etihad, o que se espera, nos outros palcos, é que Juventus, FC Barcelona e Liverpool confirmem o favoritismo.

Também na quarta-feira, no Dragão, o FC Porto, ineficaz na finalização em Anfield Road, tem a missão quase impossível de dar a volta aos ‘reds’, que se impuseram por 2-0, com dois tentos apontados na primeira parte, por Keita e Roberto Firmino.

O conjunto comandado por Sérgio Conceição, na época passada foi goleada em casa por 5-0 pelo Liverpool, na primeira mão dos oitavos, precisa de conseguir uma série de feitos inéditos, como bater os ‘reds’ e recuperar de uma desvantagem de mais de um golo.

Com dois golos à maior, o conjunto de Liverpool, ‘obcecado’ em ganhar uma ‘Premier League’ que lhe foge desde 1989/90, tem tudo a seu favor para repetir as ‘meias’ da época passada – só caiu na final, face ao Real Madrid (1-3).

Quanto ao FC Porto, a presença nas meias-finais seria a primeira desde 2003/04, época em que conquistou o seu segundo título europeu, sob o comando de José Mourinho.

Na terça-feira, as atenções estão viradas para o português Cristiano Ronaldo e o argentino Lionel Messi, as grandes figuras de Juventus e FC Barcelona, respetivamente.

Em Turim, a ‘Juve’ parte em vantagem, depois do 1-1 de Amesterdão, onde Ronaldo, como é habitual, marcou: na sequência de um centro do seu compatriota João Cancelo, selou de cabeça o 125.º golo na ‘Champions’, quinta na presente edição, 64.º na fase a eliminar e 24.º só nos quartos de final.

O internacional luso, de 34 anos, apontou também o seu oitavo tento face aos holandeses e será, certamente, a grande preocupação do Ajax, que, no entanto, sabe igualmente que está obrigado a marcar para seguir em frente.

Os holandeses, que não estavam nos ‘quartos’ desde 2002/03 e não atingem as ‘meias’ desde 1996/97, já provaram que lidam bem com desvantagens: nos ‘oitavos’, perderam em casa com o Real Madrid por 2-1 e, depois, ganharam por 4-1 no Bernabéu.

A Juventus, que no defeso contratou Cristiano Ronaldo para conseguir chegar ao terceiro título europeu, depois dos conquistados em 1984/85 e 1995/96, procura atingir as ‘meias’ pela terceira vez em cinco anos, após 2014/15 e 2016/17, épocas em que perdeu as finais para FC Barcelona e Real Madrid.

Em Nou Camp, o FC Barcelona ainda parte com maior vantagem, após o a vitória em Old Trafford, selada com um prematuro autogolo de Luke Shaw, mas, como o Ajax, o United mostrou nos ‘oitavos’ do que é capaz, ao vencer no reduto do Paris Saint-Germain por 3-1, depois de perder em casa por 2-0.

Os catalães estão, porém, avisados e, certamente, prontos para o desafio, até porque não quererão cair pelo quarto ano consecutivo nesta fase, depois de eliminações face a Atlético Madrid (2015/16), Juventus (2016/17) e Roma (2017/18).

A exemplo dos italianos, o ‘Barça’ tem uma importante ‘seguro de vida’, personificado em Lionel Messi, que já fez saber que o seu grande objetivo da época será vencer a ‘Champions’, para repetir 2005/06, 2008/09, 2010/11 e 2014/15.

O United já não chega às meias-finais desde 2010/11, época em, ainda sob o comando de ‘sir’ Alex Fergusen, perdeu a final precisamente para o ‘Barça’.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.