Nuno Espírito Santo, treinador do FC Porto, abordou em conferência de imprensa a derrota por 0-2 na receção à Juventus e assumiu que a eliminatória ficou muito difícil, embora não impossível.

"Sabemos que no futebol e na vida nao devemos desistir. É assim que projetamos o próximo jogo [com a Juventus], sabendo que tudo é difícil, mas tudo é possível", disse o técnico após o encontro, abordando de seguida as substituições que escolheu fazer.

"Tivemos de tomar decisões após a expulsão, tivmos de equilibrar a equipa. A equipa lidou bem com a inferiodade numérica, sabendo que o momento do jogo pertencia à Juventus. Fomos para o intervalo a 0-0 e queríamos projetar o nosso ataque. A entrada do Jesús [Corona] foi para isso, para procurar o golo, que era importante para nós", indicou. "Saio consciente do que se passou no jogo. Tínhamos uma estratégia inicial e tivemos de nos adaptar".

Tal como na 'flash interview', também na conferência de imprensa Nuno Espírito Santo realçou a influência que a expulsão de Alex Telles teve no decorrer do jogo, defendendo que o árbitro podia ter tomado uma decisão distinta.

"Considero que nos jogos de 'Champions' e com a importância que estes têm, sem querer melindrar em relação ao trabalho do árbitro...podia ter tomado outra decisão. Não é uma falta que ponha em causa a integridade física do jogador. Isso não invalida o nosso erro, mas este é um erro que nos faz crescer enquanto equipa. Sabemos q a este nível e fundamental a igualdade numérica, assim torna-se mais difícil, mas isto é o futebol. Somos uma equipa que quer crescer, que é capaz, e vamos projetar o próximo jogo dessa forma".

Face ao longo período de tempo em que os 'dragões' jogaram em inferioridade numérica, o desgaste dos jogadores será por esta altura maior? Nuno responde: "O que vai requerer de nós é um bom trabalho de recuperação e saber que o resultado e este jogo não mudam nada do que queremos para o próximo jogo no Bessa. Vamos recuperar bem os jogadores, sabendo que como equipa somos capazes de nos levantarmos e de competirmos no campeonato como queremos, procurando vencer todos os jogos".

Golos da Juventus em minutos consecutivos e por jogadores suplentes? "Se analisarmos os lances em que se dão os golos, não é uma ação individual do jogador que entra. Penso que até aí estávamos a lidar muito bem com o jogo ofensivo da Juventus, sabíamos de onde podia surgir o perigo. Cometemos erros que concederam os golos da Juventus. Penso que as substituições foram casuais, não sei o que o Allegri [n.d.r.: treinador da Juventus] pensou. Procurámos ser capazes de lidar com todas as situações".

Nuno Espírito Santo fez ainda questão de deixar uma palavra de agradecimentos aos adeptos pelo apoio incondicional: "Agradeço o apoio que o Dragão deu à equipa, um apoio que manteve quando a equipa ficou em inferioridade e quando o resultado era adverso. Isso mostra o espírito de união e é fundamental que o Dragão nos apoie. Vimos uma equipa a dar tudo apesar das dificuldades, quem viu o jogo viu isso".

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.