“O segundo golo do porto é legal. As leis assim o permitem. É uma situação onde os treinadores ou tem vontade de bater nos jogadores ou de bater no árbitro. Repito, o golo é legar e nasce da inteligência de um jogador do FC Porto (Ruben Micael) e uma boa finalização do Falcao.

Ruben apontou o livre indirecto, depois de o guarda-redes ter agarrado a bola com a mão num atraso de um colega de equipa, e Falcao marcou o segundo golo de forma veloz sem ter dado tempo à defesa arsenalista de formar barreira.

“O senhor Wenger ficou zangado e eu também ficava se acontecesse comigo. Mas lembro que o Arsenal ganhou ao Chelsea, em 2004, com um golo exactamente igual. Ao FC Porto também já marcaram um golo desta forma”, acrescentou.

O FC Porto venceu esta noite o Arsenal por 2-1, em jogo da primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões.

A segunda ronda joga-se no dia 09 de Março em Londres.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.