Na sua carta de Boas Festas, o antigo número dez da seleção francesa afirma que «2011 foi um ano em que o futebol necessitou de uma proteção especial» e frisa a importância da UEFA «como um dos garantes dos valores, da estabilidade e da equidade neste desporto».

«Foi um ano em que também tivemos que continuar a ser sólidos e a defender os nossos valores, às vezes sozinhos, para garantir o respeito pelas regras e a equidade das competições e para evitar tornarmo-nos reféns dos interesses de uns poucos», diz Platini.

Apesar de considerar que em 2011 se viveram «momentos excecionais no mundo do futebol», Platini refere que, «se tivesse de escolher um, seria a final da Liga dos Campeões realizada em Wembley», em Londres.

«Não só foi um jogo lendário, como nos recordou porque estamos todos aqui, ao serviço do futebol e dos jogadores, sem os quais nada seria possível e que fazem com que este sonho se transforme em realidade», justifica.

Ao fazer a antevisão de 2012, Platini considera que o Campeonato da Europa, a disputar na Polónia e na Ucrânia, «promete ser único», mas defende que será um ano «essencial para o futebol europeu».

«Para o próximo ano também tenho outro propósito, que entremos numa nova era no futebol de clubes graças ao ‘fair-play’ financeiro, que é apoiado e levado a cabo por todos e é um símbolo da nossa unidade e capacidade de assumirmos as nossas responsabilidades quando se trata de preservar o futebol», acrescenta.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.