O treinador do Benfica, Rui Vitória, fez a antevisão do jogo decisivo com o Nápoles e desvalorizou o eventual impacto que a derrota frente ao Marítimo possa vir a ter nos jogadores encarnados, frisando que o trabalho que tem sido feito no último ano não pode ser colocado em causa por um mau resultado.

Em declarações na conferência de imprensa de antevisão do jogo de amanhã, Rui Vitória abordou as dificuldades que o adversário irá apresentar na Luz e as precauções que a formação encarnada irá ter frente aos napolitanos.

"Nós temos a noção clara do que temos que fazer. Não andamos a trabalhar em vão, mas sim com uma identidade e que não mudará na Liga dos Campeões. Vamos com uma determinação muito grande, o que não quer dizer que sejamos demasiado atrevidos, isto contra uma equipa que também tem mostrado uma identidade própria. Acredito que cá virão para disputar o jogo no campo todo. O que não invalida a nossa ambição", começou por dizer Rui Vitória.

Questionado sobre o jogo da segunda jornada do Grupo B em Nápoles, o técnico do Benfica recordou que ninguém estava há espera de sofrer quatro golos num jogo, mas também apontou para o facto de o Benfica ter saído do Estádio de Sao Paolo em último lugar do agrupamento para hoje estar a disputar o apuramento.

"Cada jogo tem uma vida própria. Nessa altura, ninguém iria prever que íamos sofrer quatro golos. O futebol tem disto. Saímos de Nápoles no último lugar e agora estamos aqui a disputar o primeiro. Vamos jogar no redline e queremos continuar o nosso percurso europeu. Estamos à beira de uma segunda passagem consecutiva, mas temos que o fazer com níveis de motivação e convicção máximos", disse Rui Vitória.

"Já jogamos este ano em Kiev e ganhamos, no ano passado em Munique e Madrid também. Insisto: cada jogo tem vida própria. Este Napoli tem jogadores em ponto ótimo de maturação e vai-nos criar dificuldades específicas. Temos que as identificar e anular, sabendo que também temos as nossas armas", acrescentou o técnico do Benfica.

Questionado sobre a possibilidade de o Benfica fazer história ao conseguir o apuramento para os oitavos de final em dois anos consecutivos, Rui Vitória lembrou que ainda não está nada conquistado.

"Primeiro, é preciso conseguir isso. É isso que digo aos meus jogadores, já que nada é ganho antes. Depois, se o conseguirmos, leva-me a pensar no que já fizemos neste trabalho. Temos algo a dizer na Liga dos Campeões, vamos para os jogos a acreditar em nós e isso tem-nos feito ter este trajeto neste ano e meio. Em 15 jogos, foram apenas quatro derrotas e só não marcamos num, em Munique", recordou Rui Vitória.

"Estamos habituados a ganhar e queremos muito ganhar. Isso não aconteceu na última jornada, mas ninguém pode dizer que nunca tivemos uma postura diferente no jogo seguinte. Claro que é melhor trabalhar em cima de vitórias, mas nada vai alterar o nosso rumo. Fazemos Reset", garantiu Rui Vitória.

"Tenho essa noção. Estamos na presença de jogadores que, a breve prazo, serão referências europeias e farão carreiras internacionais de grande valor. O Nélson, por exemplo, é um jogador mais completo. Em termos de equipa, estamos a apresentar resultados, temos um caminho pela frente e pena tenho eu de não trabalhar com estes jogadores muito mais anos, mas isto é a lei da vida. Estes jogadores, mais cedo ou mais tarde, vão sair do clube, acredito eu. Ainda assim, considero que estamos a conseguir bons resultados", sentenciou Rui Vitória.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.