O Real Madrid, tricampeão da Liga dos Campeões de futebol, foi hoje surpreendido pelo Ajax (1-4), sendo eliminado nos oitavos de final da prova, um destino idêntico ao do Borussia Dortmund, que foi afastado pelo Tottenham (0-1).

Depois de um arranque de partida frenético, o Ajax, que partia em desvantagem depois de ter sido derrotado por 2-1 em Amesterdão, marcou o primeiro golo da noite logo aos sete minutos, por intermédio do marroquino Hakim Ziyech, após assistência de Dusan Tadic, sérvio que esteve inspiradíssimo e envolvido nos quatro golos dos visitantes.

Aos 18 minutos, Tadic serviu o brasileiro David Neres para o segundo golo da noite e, quando o Real Madrid procurava inverter o rumo dos acontecimentos, sofreu com as lesões dos dois extremos da formação da casa, Lucas Vásquez (29 minutos) e Vinicius Júnior (35), substituídos por Gareth Bale e por Marco Ascensio, respetivamente.

O resultado manteve-se inalterado até ao intervalo, depois de Raphael Varane e Gareth Bale terem estado muito próximos de marcar para os 'merengues', com remates à barra e ao poste da baliza de Onana.

E a surpresa foi crescendo no Santiago Barnabéu aos 62 minutos quando, depois de já ter feito duas assistências, Tadic marcou um golo de belo efeito à entrada da área de Courtois.

Marco Asensio ainda reduziu passados oito minutos, mas, logo a seguir, Tadic sofreu uma falta que deu origem a um livre superiormente marcado pelo dinamarquês Lasse Schone, que assim fixava aquele que viria a ser o resultado final da partida (1-4).

Esta foi a quarta derrota consecutiva em casa dos 'merengues' a contar para todas as competições - algo que não acontecia desde 2004, quando o Real Madrid era treinado por Carlos Queiroz -, e a mais pesada de sempre na liga 'milionária'.

De resto, foi apenas a terceira vez que o colosso espanhol sofreu quatro golos no seu terreno em jogos a contar para a Liga dos Campeões, depois de ter perdido por 2-4 contra o Bayern Munique (2000) e por 3-4 contra o Schalke 04 (2004), e no final do encontro os adeptos fizeram ouvir a sua insatisfação para com a exibição da antiga equipa de Cristiano Ronaldo.

No outro jogo da noite, o Tottenham foi arrancar uma vitória por um golo sem resposta ao campo do Borussia Dortmund, que já tinha perdido por 3-0 na primeira mão da eliminatória em Londres.

A equipa alemã entrou no jogo determinada a inverter o mau resultado que trazia de Inglaterra, mas o guarda-redes francês Hugo Lloris negou todas as oportunidades criadas pelo ataque do Borussia Dortmund, com uma mão cheia de defesas de grande nível.

Depois de sofrer durante todo o primeiro tempo, o Tottenham conseguiu levar o nulo para o intervalo e, no arranque da segunda parte, aos 49 minutos, Harry Kane, o 'suspeito do costume', aproveitou da melhor maneira um passe de rutura do francês Moussa Sissoko e matou a eliminatória.

A turma alemã, que contou com o internacional português Raphael Guerreiro a titular (foi substituído aos 62 minutos por Christian Pulisic), ainda tentou encontrar forças para reagir ao resultado desfavorável - tinha que marcar cinco golos e não sofrer mais nenhum na última meia hora de jogo -, mas não conseguiu fazer abanar as redes do Tottenham e despediu-se sem glória da presente edição da 'champions'.

Os 'spurs' chegam apenas pela terceira vez aos quartos de final da principal competição europeia, oito anos depois da última, sendo que, em 1960/61, atingiu as meias-finais, nas quais foi batido pelo Benfica, que viria a ser campeão europeu, numa final frente ao Real Madrid (5-3).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.