De regresso, quatro anos depois, os ‘verde e branco’ têm pela frente o Borussia Dortmund, do excitante Erling Haaland e de Raphaël Guerreiro, e ainda os campeões dos Países Baixos, o histórico Ajax, e da Turquia, o Besiktas.

Por seu lado, o FC Porto enfrenta o mais difícil dos grupos que jamais lhe calhou na ‘Champions’, com o ‘inacessível’ Liverpool, de Diogo Jota, o campeão espanhol Atlético de Madrid, de João Félix, e o AC Milan, de Rafael Leão.

Quanto ao Benfica, que falhou a presença na época passada, enfrenta os ‘todos poderosos’ Bayern Munique, a equipa do temível Robert Lewandowski, e FC Barcelona, os ‘órfãos’ de Lionel Messi, e o Dinamo de Kiev, a formação campeã da Ucrânia.

O objetivo é ficar num dos dois primeiros lugares e seguir para os ‘oitavos’, mas nenhuma das equipas lusas é favorita a consegui-lo, nem mesmo o Sporting, que partiu com o estatuto de cabeça de série e tem o grupo teoricamente menos forte.

A formação campeã nacional em título vai para a nona presença na fase de grupos da ‘Champions’ e no seu historial só conta um apuramento, conseguido em 2008/09, com o segundo lugar do Grupo C, atrás de FC Barcelona e à frente de Shakhtar e Basileia.

Foi a melhor prestação de sempre dos ‘leões’, que nos ‘oitavos’ também fizeram história, mas pela negativa: o 1-12 com o Bayern Munique (0-5 em casa e 1-7 fora) ainda é a mais desequilibrada eliminatória da história da competição.

O Sporting quer agora repetir a presença, num Grupo C em que o principal candidato ao primeiro lugar é o Borussia Dortmund, terceiro na ‘Bundesliga’ em 2020/21, que conta com um dos avançados mais prometedores do futebol mundial.

Haaland, o jovem norueguês de 21 anos, é a grande referência da equipa e um jogador com apetência para a ‘Champions’, prova em que já conta 20 golos, em apenas 18 jogos.

Além do possante avançado nórdico, os germânicos contam com mais uma série de ‘craques’, como Marco Reus, o ex-benfiquista Axel Witsel, Bellingham, Brandt, Hummels, Meunir, Guerreiro e Thorgan Hazard, o ‘carrasco’ luso no Euro2020.

O Ajax é o outro grande candidato ao apuramento, pois, não tendo as vedetas de outros tempos, que lhe conferiram quatro títulos europeus, contam com um elenco de grande qualidade, liderado pelos ‘trintões’ Tadic, Blind e Stekelenburg.

Menos complicado, parece ser o Besiktas, mas os turcos formaram também uma equipa forte, nomeadamente com as contratações do médio bósnio Pjanic e do avançado belga Batshuayi.

Se os adversários do Sporting são de qualidade, para cada um deles há um melhor no Grupo B, onde o FC Porto terá de estar ao seu melhor nível e aproveitar toda a sua experiência na prova, na qual está pela 25.ª vez, para seguir em frente.

O Liverpool, de Jürgen Klopp, é o ‘cabeça de cartaz’, num conjunto que manteve o elenco dos últimos anos, nomeadamente aquele temível ataque com Salah, Mané e Firmino (ou Diogo Jota), e recuperou o esteio defensivo, o determinante Virgil van Dijk.

Por seu lado, o Atlético de Madrid, sempre muito difícil de bater, surge ainda mais apetrechado do que em 2020/21, com o regresso de Antoine Griezmann – para complicar ainda mais as ‘contas’ de Félix - e a contratação de Rodrigo de Paul e Matheus Cunha, que aumentam as opções de Diego Simeone.

O oponente mais ‘acessível’ será, assim, o histórico AC Milan, equipa com sete títulos europeus, um conjunto repleto de bons jogadores, entre os quais o promissor Rafael Leão, e liderado pelo veteraníssimo e incontornável Zlatan Ibrahimovic.

Quanto ao Benfica, não tem um terceiro adversário tão categorizado, mas enfrenta dois ‘colossos’, entre eles o temível Bayern Munique, uma daquelas equipas face às quais é sempre mais provável sofrer uma goleada do que pontuar.

Agora sobre o comando do jovem Julian Nagelsmann (ex-Leipzig), os bávaros continuam a ser liderados pelos golos de Lewandowski, tendo mudado muito pouco o elenco, destacando-se apenas a entrada de Upamecano para o lugar de Alaba.

O FC Barcelona é o outro ‘gigante’ do agrupamento e, mesmo não sendo tão inacessível, face ao ‘adeus’ de Lionel Messi, possui grandes valores, como Memphis Depay, Frenkie De Jong, Piqué, Ter Stegen, Pedri, Alba, Dembélé, Fati, Agüero ou Luuk De Jong.

Mais ao alcance do Benfica, estará o Dinamo Kiev, uma jovem equipa que o ‘mestre’ Mircea Lucescu conseguiu que na época passada acabasse com o ‘reinado’ interno do Shakhtar Donetsk, o que por si impõe respeito.

A fase de grupos da Liga dos Campeões arranque na terça-feira e fecha em 06 de dezembro, depois de concluída a sexta jornada.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto