O FC Porto viu a sua viagem para Marselha, realizada ontem, ser atrasada em mais de uma hora devido a uma inspeção da Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC) na zona VIP do Aeroporto.

Uma inspeção aos procedimentos de segurança daquela zona do aeroporto obrigou a que a comitiva 'azul e branca' se mantivesse de pé numa espera de durou mais de 60 minutos, explica o jornal ' O Jogo'.

A partida, marcada inicialmente para as 15h30, acabou por acontecer mais de uma hora depois e os procedimentos da ANAC mereceram as críticas de Francisco J. Marques no programa "Universo Porto da Bancada" do PortoCanal. O diretor de comunicação dos dragões apontou o dedo ao Estado Português, afirmando que a situação não aconteceu por acaso, mas sim devido ás críticas de Pinto da Costa.

"Estiveram mais de uma hora de pé, porque uns senhores quaisquer resolveram escolher aquele voo, um voo charter, apenas com a equipa, médicos e staff, uma comitiva reduzida.(...)  Uma entrada que dura um minuto por pessoa passou a durar 10 minutos. Estas coisas só acontecem com o FC Porto, isto tem uma razão de ser específica: todos sabem como o presidente Pinto da Costa tem liderado contra este ataque ao futebol às custas da pandemia, esta é a resposta do Estado português", disse.

Francisco J. Marques considerou ainda "se o sr. ministro que tutela a ANAC se mantiver calado, é porque tem culpas no cartório".

"É mesmo contra tudo e contra todos. Ao FC Porto, as vitórias custam mesmo muito, é uma pena ter que defrontar os adversários e ainda ter que lutar contra o Estado", concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.