O ex-defesa esquerdo Álvaro Magalhães admitiu que o Benfica precisa de «um pouco de sorte» para vencer a Liga Europa na quarta-feira, até porque o Chelsea é um «adversário de grande qualidade» e campeão europeu em título.

«Espero que o Benfica ganhe. Mas uma final é sempre uma final. É preciso também um pouquinho de sorte», sublinhou à agência Lusa o ex-defesa esquerdo dos “encarnados”.

Atualmente no comando técnico da Naval 1.º de Maio, da II Liga, Álvaro sabe o que é disputar uma final pelo Benfica, o que aconteceu em 1982/83, face ao Anderlecht, na Taça UEFA, e 1987/88, frente ao PSV Eindhoven, na Taça dos Campeões, ambas perdidas.

Álvaro é da opinião que «não é fácil para o Benfica o jogo de quarta-feira», porque o Chelsea é uma equipa experiente, o que torna, por vezes, necessário o recurso à «estrelinha da sorte».

No entanto, «a sorte não aparece» por acaso, «tem de se procurar, correndo mais e lutando mais» para «atingir sempre o máximo».

«Nós, naquelas finais que perdemos, não tivemos aquela estrelinha, mas jogámos bem», sustentou o ex-futebolista do Benfica, para quem o simples facto de se chegar a uma final europeia «é fantástico para o currículo e para a vida pessoal» dos jogadores.

E, quando se consegue vencer a final, então «essa felicidade aumenta», não só para os jogadores, mas também para o país.

Álvaro considerou que a partida da final «não é mais difícil do que as outras, antes pelo contrário».

«É bonito estar lá dentro, é uma emoção tão grande, uma alegria. E, com o apoio dos adeptos, é uma coisa difícil de explicar», concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.