Benfica e Rangers empataram esta noite a três golos em partida da 3.ª jornada da Liga Europa, num jogo em que os 'encarnados' estiveram muito perto da derrota, depois de uma expulsão madrugadora de Otamendi, mas em que viram depois Darwin Nuñez saltar do banco para, com uma assistência e um golo, salvar ainda a conquista de um ponto

Um autogolo começou por dar vantagem às 'águias', mas depois do vermelho visto pelo central argentino o Rangers virou o resultado em poucos minutos, primeiro beneficiando também de um infeliz autogolo do jovem Diogo Gonçalves e, logo depois, graças a um remate colocado. Desconcentrados, o 'encarnados' viram o Rangers aumentar no arranque do segundo tempo, mas Rafa, assistido por Darwin, deu esperança às 'águias' e o uruguaio, em cima do apito final, ditou o empate.

Jesus mexe muito e mudanças rendem cedo...

Depois da pesada derrota por 3-0 no Bessa, em que apontou o dedo à condição física dos jogadores, Jorge Jesus procedeu a várias mudanças no 'onze' que havia iniciado essa partida no Bessa. Diogo Gonçalves entrou para a lateral direita, enquanto no meio campo Weigl recuperou a titularidade, mas as surpresas surgiram na frente. Rafa e Seferovic foram titulares, Darwin Nuñez e Waldschmidt começaram no banco.

As alterações cedo renderam frutos. Rafa, um dos regressados ao 'onze' inicial, surgiu pela direita, ultrapassou um adversário, chegou à linha de fundo e tentou servir Seferovic. Na tentativa de intercetar o esférico, Goldson colocou-o no fundo da própria baliza. Estava feito o 1-0 e melhor início, depois do Bessa, era difícil.

Motivado pelo golo, o Benfica continuou a criar perigo e o 2-0 só não surgiu por acaso minutos depois. Pizzi, após atraso de Everton, atirou cruzado, mas o remate saiu a rasar o poste direito da baliza do Rangers.

...mas expulsão de Otamendi muda tudo

Mas, de repente, com a chuva a começar a cair com grande intensidade sobre o relvado da Luz, um lançamento em profundidade para o ataque do Rangers levou a que Otamendi tocasse no avançado do conjunto escocês e o derrubasse perto da entrada da grande área 'encarnada'. O árbitro da partida, o espanhol Jesús Gil Manzano, não hesitou e exibiu a cartolina vermelha ao central argentino.

Jorge Jesus foi rápido a reagir, lançou Jardel (tirando Pizzi) para o centro da defesa, mas o dano estava feito. Aos 24 minutos, cinco apenas após a expulsão, Diogo Gonçalves não foi feliz numa abordagem a um cruzamento rasteiro, já dentro da área, e rematou para o fundo da própria baliza, imitando Goldson restabelecendo a igualdade com um autogolo.

Desconcentrado e abalado por duas contrariedades em tão pouco tempo, o Benfica não tardou a ver a terceira chegar. Apenas dois minutos depois, Morelos serviu Kamara e este recebeu a bola ainda fora da área, puxou para dentro e rematou, rasteiro e colocado, para o 2-1, com a defesa do Benfica a ver jogar. Estava feita a cambalhota no marcador em poucos minutos.

E podia ter sido ainda pior antes do intervalo, com o 3-1 à vista, num cabeceamento de Aribo que saiu ligeiramente ao lado, com Vlachodimos batido.

Chega a segunda parte, Jesus muda de laterais...mas pouco muda

Em desvantagem e em inferioridade numérica ao intervalo, Jorge Jesus mexeu logo a abrir a segunda parte. E a aposta foi na troca dos dois laterais, com os jovens Nuno Tavares e Diogo Gonçalves a cederem o lugar a Grimaldo (que assim regressou após lesão) e Gilberto.

Só que foi precisamente por um dos corredores - o direito - que o Rangers chegou ao terceiro. Passe de Goldson a rasgar a defesa do Benfica e a solicitar a desmarcação de Tavernier, que solto de marcação cruzou rasteiro, para o segundo poste, onde também sozinho Morelos só teve de encostar. Estava  feito o 3-1.

 Darwin mostra o que vale e Benfica chega ao empate mesmo no fim

Com a desvantagem no marcador a acumular-se, o treinador das 'águias' voltou a mexer e lançou então o uruguaio Darwin, esta noite suplente. Foi, porém, o Rangers a continuar a criar perigo. A defesa do Benfica mostrava-se bastante permissiva também pelo meio e acabou por surgir isolado mas Kent, na cara de Vlachodimos, atirou ao poste.

O mesmo Kent voltou a ficar perto de marcar minutos mais tarde, mas aos poucos o Rangers começou a adormecer e o Benfica aproveitou para acordar. Darwin mostrou toda a sua classe e, lançado por Waldschmidt, que entretanto também havia entrado, o uruguaio ganhou com categoria o duelo a Helander e, com o guarda-redes contrário já caído, assistiu Rafa para o 2-3.

O golo motivou o Benfica, que até ao final pressionou o Rangers em busca de uma igualdade que acabaria por  chegar quando Darwin, isolado, não perdoou e fez mesmo o 3-3 final, já nos descontos. O resultado mantém as duas equipas igualadas no topo do Grupo D, com 7 pontos. Novo duelo terá lugar já na próxima jornada, agora em Glasgow, no final de novembro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.