O Benfica regressa a 15 de maio a Amsterdão para a final da Liga Europa. Esta cidade é de boas memórias para Mário Coluna, pois foi dos seus pés que saiu o golo que tornou possível a reviravolta, visto que Coluna fez o 3 a 3 e o Benfica venceu por 5-3 o Real Madrid.

Foi a 2 de maio de 1962, data em que os encarnados sagraram-se bicampeões europeus. Volvidos 51 anos, o momento está bem gravado na memória dos “Monstro Sagrado”.

«Foi uma jogada nossa em que calhou ter a sorte de chutar a baliza e marcar o golo, que foi muito bom.

Infelizmente o Benfica foi cinco vezes finalista, ganhou duas e perdeu três. Entretanto é uma boa recordação, porque até aqui nenhum clube português conseguiu tal feito histórico», disse Coluna.

Coluna recorda-se do então treinador Bela Gutman, que após essa conquista, lançou uma maldição sobre os encarnados sobre finais europeias. «O Bela Gutman terminava o contrato e queria continuar e achou que devia dizer qualquer coisa contra o Benfica por o clube não querer renovar o contrato e acabou acontecendo», recordou o «Monstro Sagrado».

Para a final de 15 de maio, diante do Chelsea, o antigo capitão das “águias” não vê outro favorito se não o Benfica. «Só se chega a essas finais depois de jogos a ganhar e para mim no futebol não há lógica: ganha quem faz mais golos. Pode acontecer o Benfica ganhar ou não ganhar. Mas como sou benfiquista, acredito na vitória do meu clube», disse o ex-capitão.

Volvidos 51 anos após última conquita europeia, Mário Coluna acredita que a cidade de Amsterdão será talismã para o Benfica.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.