O Manchester United suou para se apurar para as meias-finais da Liga Europa. Só no prolongamento assegurou a vitória sobre o Anderlecht (2-1), com um golo de Rashford.

Com 1-1 na partida da primeira mão na Bélgica, o United de José Mourinho partia em vantagem para o segundo confronto dos quartos-de-final da Liga Europa, desta feita no teatro dos sonhos.

Em relação à partida do último fim-de-semana frente ao Chelsea, José Mourinho promoveu quatro alterações no onze. Saíram Darmian, Young, Herrera e Fellaini e entraram Shaw, Carrick, Mkhitaryan e Ibrahimovic. O técnico português procurava mais uma presença numas meias-finais de uma competição europeia.

Em desvantagem na eliminatória, o conjunto da capital belga entrou afoito e com vontade de inverter os acontecimentos.


Dendoncker foi mesmo o autor do primeiro aviso. Míssil do jogador do Anderlecht a passar por cima da baliza de Romero.

Contudo, contra a corrente do jogo foram os homens de José Mourinho a marcar. Contra-ataque venenoso do United, com Rashford a tocar para o arménio matar no peito e fazer o primeiro da noite.

Nos lances praticamente a seguir só o guardião Martínez evitou que os homens de Mourinho não avolumassem a desvantagem. Primeiro foi Lingard com um remate em jeito e depois um cabeceamento de Pogba ao ângulo que parecia indefensável. Os dois lances foram parados com grandes intervenções do número 1 da baliza do Anderlecht.

Como quem não marca, normalmente sofre, primeiro o Anderlecht avisou. Acheampong aproveitou a incapacidade física de Rojo (que viria a sair mais tarde por lesão) para fugir e rematar às malhas laterais. Aos 32 minutos, os belgas marcaram mesmo. Tielemans atirou ao ferro, a bola sobrou para Hanni que fez o empate.

Tudo empatado na eliminatória, assim foi o jogo para o intervalo.

Com a responsabilidade em cima dos ombros, o United entrou com vontade de resolver a contenda. Logo no início da etapa complementar podia ter feito o golo. Luke Shaw conseguiu furar e só por milagre Lindgard não desviou para o fundo das redes. A partir daí o encontro partiu-se e ganhou velocidade.

Até ao final da etapa complementar, o United podia ter arrumado a questão e evitado o prolongamento. Aos 68 minutos, Rashford avançou 'de mota' até à grande área passou pelo guarda-redes, mas permitiu um corte 'in extremis'. Quase em cima do apito final, ao minuto 88, Ibra assistiu com perfume o jovem avançado que atirou às malhas laterais. Frustração momentânea para o avançado inglês, que mais tarde iria colocar um ponto final no encontro. Mas já lá vamos...

O encontro foi mesmo para prolongamento. Essa fase começou com mais um momento de enorme perfume por parte dos ingleses. Cruzamento de letra de Rashford e Pogba finalizou de bicicleta, só um corte milagroso impediu a bola de acabar no fundo das redes. Mourinho acenava com a cabeça. Pedia pragmatismo e compreendia-se. O United era melhor, mas nas grandes penalidades tudo podia acontecer. Do lado do Anderlecht, Tielemans era o mais inconformado. Tentava de onde podia e como podia.

Na segunda parte do prolongamento impôs-se a naturalidade. Fellaini assistiu Rashford, este desembaraçou-se de um adversário e bateu Rúben Martínez.

Até ao final a equipa de José Mourinho foi encostada às cordas. Acheampong ainda tentou de cabeça, mas Romero segurou o empate.

Foi sofrido, mas estava feito. O Manchester United está nas meias-finais da Liga Europa.

Onze do Man. United: Romero, Valencia, Rojo, Bailly, Shaw, Pogba, Carrick, Lingard, Mkhitaryan, Rashford, Ibrahimovic.

Onze do Anderlecht: Ruben, Appiah, Mbodjui, Spajic, Obradovic, Deondoncker, Tielemans, Hanni, Chipciu, Acheampong, Teodorczyk.

Suplentes do United: De Gea, Fellaini, Blind, Rooney, Martial, Young, Herrera.

Suplentes do Anderlecht: Boeckx, Deschacht, Bruno, Nuytinck, Capel, Kiese Thelin, Stanciu.