O Sevilha qualificou-se hoje pela sexta vez para a final da Liga Europa de futebol, ao vencer o Manchester United, por 2-1, na meia-final disputada em apenas um jogo, em Colónia, na Alemanha.

Logo aos nove minutos, Bruno Fernandes (quem mais?) abriu o marcador para os 'red devils', de penálti, a castigar uma entrada fora de tempo de Diego Carlos sobre Rashford. O médio português deu o salto tradicional antes do remate e atirou colocado ao ângulo, sem hipóteses para Bounou.

O antigo capitão do Sporting confirmou o estatuto de melhor marcador da competição, com oito golos, permitindo-lhe bater o recorde de golos de um português na prova, que estava na posse do antigo avançado do FC Porto Abel, desde 1972/73.

A equipa inglesa esteve muito perto de aumentar a contagem aos 14', na sequência de um contra-ataque conduzido por Bruno Fernandes, mas o remate de Fred saiu ao lado. Não marcou o United, marcou Sevilha, aos 26': Reguilón cruzou rasteiro para a zona do segundo poste, onde Suso, sem marcação, rematou de pé esquerdo para o empate.

Até ao intervalo, ainda houve oportunidade para Rashford (40') e Bruno Fernandes (45+3') tentarem a sorte com dois remates potentes, mas Bounou estava atento.

O guarda-redes do Sevilha voltou a brilhar no segundo tempo, com quatro defesas incríveis em apenas seis minutos. Aos 75' a equipa de Lopetegui pediu penálti por suposta mão de Bruno Fernandes na sequência de um livre. O árbitro consultou o VAR e mandou seguir.

A reviravolta dos andaluzes chegou pouco tempo depois, com Munir a cruzar da direita e Luuk de Jong (78') a aparecer a finalizar à entrada da pequena área, sem qualquer marcação. Bruno Fernandes acabou a pedir explicações ao colega de equipa Lindelof, com o ex-Benfica a responder com alguns impropérios à mistura.

O golo de Bruno Fernandes - o terceiro pelos ingleses - não chegou para assegurar a segunda presença no encontro decisivo para o Manchester United, que se sagrou três vezes campeão da Europa e uma vez vencedor da prova, em 2016/17, então sob o comando de José Mourinho.

Sem, no entanto, conseguir assegurar a segunda presença no encontro decisivo para o Manchester United, que se sagrou três vezes campeão da Europa e uma vez vencedor da prova, em 2016/17, então sob o comando de José Mourinho.

O Sevilha, recordista de triunfos na competição, em 2005/06, 2006/07, 2013/14, 2014/15 e 2015/16, vai agora defrontar o vencedor do embate entre os ucranianos do Shakhtar Donetsk e os italianos do Inter Milão, na segunda-feira, em Dusseldorf, na Alemanha, às 21:00 locais (20:00 em Lisboa).

A final da segunda competição europeia de clubes está marcada para sexta-feira, em Colónia.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.