A principal arma dos insulares tem sido a perspicácia nos momentos em que a equipa tem de recuar no terreno para defender e assim anular os ataques da formação bielorrussa.

Quanto ao ataque, a formação da Madeira não têm sido feliz mas mostrou vontade de disputar o encontro cara-a-cara.

A melhor oportunidade da equipa portuguesa aconteceu ao minuto 27, depois de um canto da direita cobrado por Ricardo Esteves para a área, onde surgiu Robson que rematou contra um defesa, Na recarga, voltou a atirar com a bola a sair ao lado.

No minuto 32, Marquinho podia ter feito melhor depois de ter corrido em velocidade para a baliza do Borisov e optou por um remate frouxo.

Perto do final da primeira parte, a defesa maritimista tremeu quando Rodionov rematou ao poste.

Na segunda parte, apesar da audácia, o Marítimo terá de demonstrar mais calma e frieza nos momentos de sair para o ataque, só desta forma conseguirá passar para a frente no marcador e ficar mais confortável para a segunda volta, no Funchal, na próxima semana.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.