Os Dragões, que regressam à segunda prova da UEFA sete anos depois, estão com o jogo controlado, mas num nível pausado. A equipa de Villas-Boas passou praticamente os 45 minutos da primeira parte colada à área dos austríacos.

Rolando podia ter inaugurado o marcador mais cedo, aos 19 minutos, mas o central fez o mais difícil ao chutar por cima de uma baliza deserta, após iniciativa de João Moutinho.

O internacional português não voltou a falhar seis minutos depois. Após passe de Fucile da direita para a grande área austríaca, e depois de a defesa do Rapid Viena não ter conseguido afastar, a bola sobrou para Rolando que, com frieza, enviou-a lentamente para fundo das redes.

O FC Porto controlou a equipa adversária no primeiro tempo mas, ao minuto 34, arrepiou-se quando viu Kayhan cruzar para a zona de finalização mas nem Hinum, nem Nuhiu chegaram à bola para o desvio em carrinho. O mesmo aconteceu a um minuto dos 45, quando Kulovits rematou rasteiro e a bola saiu a centrímetreos do poste. Helton nem se mexeu.

A equipa portuense, nos minutos finais do primeiro tempo, desleixou-se, o que fez com que o Rapid de Viena aproveitasse para assustar os Dragões.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.