Esperava-se que após a exibição dos leões em Alvalade perante o Benfica, o Sporting volta-se hoje a repetir os bons indícios deixados nesse encontro.

Contudo, parece que a equipa voltou a regredir e a primeira parte ficou marcada por um jogo aos repelões, num ritmo lento.

O Heerenveen pareceu, durante os primeiros 45 minutos, ser uma equipa perfeitamente ao alcance do do Sporting, mas a verdade é que a turma de Alvalade nunca mostrou arte nem engenho para explorar a débil zona central dos holandeses.

Liedson nos primeiros minutos deu um ar da sua graça e teve em dois lances, oportunidade para fazer golo. A primeira resultou de mau atraso de Bak Nielsen para o seu guarda-redes. O levezinho conseguiu recuperar a bola e rematou de pronto, tendo o guardãio Brian Vandenbussche se oposto da melhor forma, negando o primeiro golo do encontro.

A segunda chance de golo para os leões adveio de um bom cruzamento na direita de Pedro Silva, ao qual Liedson correspondeu com um cabeceamento fraco para as mãos do guarda-redes do Heerenveen.

Os holandeses contaram também com algumas jogadas de perigo, principalmente através da ala esquerda por  Assaidi. O extremo foi sempre um quebra-cabeças para Pedro Silva que só conseguia travá-lo em falta.

No final da primeira parte, Viktor Elm foi o protagonista do lance de maior perigo dos holandeses, mas Rui Patrício, aos pés deste, resolveu da melhor forma o lance.

Perante esta descolorida exibição, os assobios voltaram a Alvalade. O zero a zero exprime bem o que as duas equipas produziram em campo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.