Esta partida opunha duas equipas com uma grave crise de confiança e isso foi notório naquilo que se viu no terreno de jogo durante os primeiros 45 minutos.

As ideias foram poucas, o futebol foi sempre atabalhoado e jogadas dignas desse nome foram poucas.

Carlos Carvalhal operou uma mini-revolução no onze inicial para tirar indicações sobre alguns jogadores com pouco ritmo competitivo, mas não deve ter tirado muitas notas nesta primeira parte tal o futebol “cinzento” que o Sporting apresentou.

Na primeira parte observaram-se duas carências gritantes na equipa leonina. Por um lado assistiu-se a uma enorme quantidade de cruzamentos inconsequentes efectuados pelos laterais do Sporting. Grimi e Pedro Silva continuam sem convencer esta temporada.

Por outro lado, é preocupante o número elevado de passes que os leões precisam de fazer para chegar à área do Hertha.

O 0-0 espelha bem o futebol, ou a falta deste, que se assistiu no Olímpico de Berlim

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.