O agressor de Dimitri Payet, o jogador do Marselha que domingo foi atingido com uma garrafa de água em pleno jogo da Liga francesa de futebol no estádio de Lyon, foi hoje condenado a seis meses de prisão com pena suspensa.

O homem, de 32 anos, compareceu no Tribunal Correcional de Lyon para saber também que durante cinco anos não pode ir ao estádio do Lyon, além de ter de se apresentar na esquadra de polícia nos dias de jogo.

Na audiência, pediu desculpa pelo que aconteceu, garantiu que a intenção não era acertar em Payet e disse que se deixou "levar pela euforia do momento".

O advogado do agressor mostrou-se satisfeito por não ser aplicada a prisão efetiva, considerando que isso seria uma sanção desproporcionada.

Ao mesmo tempo, considerou legítima a proibição de acesso ao estádio por cinco anos: "teve um comportamento antidesportivo, que há que condenar. Sabe isso, e aceita-o".

No passado, o agressor foi condenado por fraude, com quatro meses de pena suspensa, e tem uma dívida de cerca de 25 mil euros. Segundo o advogado, mesmo que "quisesse indemnizar toda a gente", não tem capacidade para o fazer.

O Governo francês hoje mesmo anunciou que encara alterações na legislação para melhorar a segurança nos estádios de futebol. O ministro do Interior, Gérald Darmanin, admite apresentar propostas concretas no prazo de duas semanas.

Nomeadamente, está em estudo a melhoria do controlo do acesso aos estádios e o acelerar do processo de decisão de interrupção do jogo quando haja algum incidente.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.