Patrice Evra trocou a Juventus pelo Marselha esta época. O veterano lateral esquerdo justificou a sua escolha pelo facto de gostar de novos desafios.

"As coisas boas podem não acontecer com os que estão agora no clube, mas é tudo feito por etapas. Escolhi o Marselha porque muitas pessoas me disseram para não o fazer, por causa do ambiente quente... Mas eu gosto de ir para onde acontece m... Preciso disso, sou assim", disse o jogador, em entrevista ao jornal francês ´La Provence`.

Neste seu ingresso no Marselha, o antigo internacional francês mostra-se disponível a ajudar o clube a estar nos lugares cimeiros da Liga Francesa e voltar a Liga dos Campeões:

"No ano passado terminamos dentro do nosso objetivo [5.º lugar]. Estou a contar-vos o que me disse Zubizarreta [diretor desportivo do Marselha] quando foi ter comigo a Turin. Este ano, não digo que vamos ganhar o campeonato: o objetivo é vencer o máximo de jogos possíveis", disparou o lateral esquerdo, longe daquilo que prometeu o presidente Eyraud, que falou em vencer a Ligue 1.

O início de época do Marselha está longe daquilo que os adeptos entendem ser de uma equipa que vai lutar pelo título. O Marselha é 6.º colocado na Liga Francesa, com duas vitórias, um empate e uma derrota. Evra espera que os adeptos tenham paciência porque, justifica, colocar o clube na rota dos títulos leva tempo.

"Se algumas pessoas lhes prometeram caviar e o que tiveram foi atum à Catalunha, é normal que façam barulho. É preciso ter consciência do que é usar esta camisola. Não digo que o projeto do Marselha seja ganhar hoje, que vamos ganhar já, que vamos trazer o Messi...", comentou.

No Marselha joga Rolando, antigo jogador do FC Porto e Mitroglou, que trocou o Benfica pelo emblema francês no mercado de verão.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.