Um golo apontado por Romelu Lukaku foi hoje suficiente para o Inter Milão vencer em Bolonha, por 1-0, e distanciar-se na liderança da Liga italiana de futebol, agora com oito pontos de vantagem sobre o rival AC Milan.

O ponta de lança belga marcou o seu 20.º golo na prova – apenas superado pelos 24 do português Cristiano Ronaldo –, ainda na primeira parte, quando estavam decorridos 32 minutos da partida da 29.ª jornada.

A equipa treinada por Antonio Conte, que tem um jogo por disputar, passa a somar 68 pontos, contra os 60 do AC Milan, segundo posicionado, e 58 da Atalanta, terceira. O Bolonha ocupa um confortável 11.º lugar, com 34.

Horas antes, no Estádio Olímpico de Turim, a grande figura da partida entre Torino e Juventus, foi o paraguaio Antonio Sanabria, autor dos dois golos dos locais, o primeiro aos 27 minutos, já depois de Federico Chiesa ter adiantado a ‘vecchia signora’, aos 13, e o segundo, aos 46, após 14 segundos da segunda parte, num remate em que o guarda-redes polaco Szczesny poderia ter feito melhor.

O avançado Cristiano Ronaldo, que no início da semana marcou ao serviço da seleção portuguesa, voltou a mostrar-se decisivo, ao cabecear para o empate final, aos 79 minutos.

Com a vida mais complicada na prova continua a Roma, face à igualdade alcançada em Reggio Emilia, perante o Sassuolo (2-2), num encontro em que Paulo Fonseca viu a sua equipa em vantagem em dois momentos, mas sem conseguir aguentar a posição favorável, averbando o terceiro jogo sem vencer.

O médio Lorenzo Pellegrini, de grande penalidade, deu motivos ao técnico luso para ficar satisfeito ao intervalo, mas, nos segundos 45 minutos, o Sassuolo reagiu e restabeleceu a igualdade por Hamed Traore (57), anulada pelo tento apontado por Bruno Peres (69), que parecia ser suficiente para assegurar o triunfo.

Quando faltavam cinco minutos para o apito final, o jovem avançado Giacomo Raspadori fixou o empate, que mantém os locais na nona posição, com 40 pontos, enquanto a Roma, agora com 51, foi ultrapassada pela rival Lazio (52) na sexta posição.

A Lazio foi precisamente quem aproveitou da melhor maneira a ‘escorregadela’ da Roma, ainda que a vitória na receção ao Spezia (2-1) tenha sido alcançada em cima do minuto 90, fruto do tento anotado pelo antigo jogador do Sporting Felipe Caicedo (80).

Antes, Manuel Lazzari (56) adiantou os locais, mas foi expulso nos descontos (90+6), tal como o colega de equipa Joaquin Correa (90+8). Daniele Verde foi o autor do golo do Spezia, 16.º classificado, com 29.

No jogo com mais golos do dia, o Nápoles, com Mário Rui a titular, bateu o lanterna-vermelha Crotone, por 4-3, graças aos golos de Insigne (19), Osimhen (22), Mertens (34), mas foi o remate certeiro de Di Lorenzo (72) que garantiu os três pontos para os napolitanos, depois da reação surpreendente equipa do lateral luso Pedro Pereira.

Um ‘bis’ de Simy (25 e 48) e um outro golo de Junior Messias (59) de nada valeu para ajudar a tirar o Crotone do fundo da classificação.

Também com alguns sobressaltos, a Atalanta levou de vencida a Udinese (3-2), face ao ‘bis’ do colombiano Luis Muriel (19 e 43) e do remate vitorioso do compatriota Duvan Zapata (61), anulando os tentos dos visitantes Roberto Pereyra (45) e Jens Stryger Larsen (71).

O ‘aflito’ Parma, com Bruno Alves no banco de suplentes, ‘arrancou’ um empate a dois golos no terreno do Benevento já na reta final do desafio, enquanto o Verona, capitaneado por Miguel Veloso, foi à Sardenha para voltar a vencer na competição, após bater o antepenúltimo colocado Cagliari (2-0).

De resto, Génova e Fiorentina ficaram-se pelo empate 1-1, num jogo marcado pelo cartão vermelho direto exibido ao francês Frank Ribéry, aos 52 minutos.

No jogo que abriu a 29.ª ronda, o AC Milan cedeu um empate 1-1 diante da Sampdoria, que viu o português Adrien Silva receber ordem de expulsão, por acumulação de cartões de amarelos, pouco depois de a sua equipa se adiantar no marcador.

O veterano avançado Fabio Quagliarella, de 38 anos, abriu o ativo em San Siro, à passagem do minuto 58, ao aproveitar uma ‘oferta’ de Theo Hernández para fazer um ‘chapéu’ ao guarda-redes Donnarumma, anotando o 10.º golo na Serie A.

Sem a participação de Diogo Dalot (não saiu do banco) e Rafael Leão (lesionado), o AC Milan acabaria por chegar ao empate já perto do final da partida, aos 87 minutos, por intermédio do extremo norueguês Jens Hauge, que, assim, impediu que os ‘rossoneri’ averbassem o segundo desaire seguido em casa na competição.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.