Zlatan Ibrahimovic continua a não perdoar Guardiola pelo tempo que ambos passaram no Barcelona. O sueco culpa o técnico pela sua saída da formação catalã em agosto de 2010. Em entrevista à 'ESPN', Zlatan contou a conversa que teve com o atual treinador do Manchester City, antes de rumar ao AC Milan.

"A segunda metade dessa época foi um desafio para mim, porque deparei-me com uma situação em que o treinador não me dirigia a palavra. Isso foi algo novo. Eu não tinha qualquer problema com ele, por isso não me aborrecia. Ele é que tinha de estar incomodado, porque não havia problema algum da minha parte. Quando estava no Barça, resolvi tudo quando lhe disse 'sem problema. Se tens alguma coisa conta mim, eu resolvo: vou-me embora. Não vou ficar aqui para te dar problemas, não sou esse tipo de pessoa", explicou Ibrahimovic.

Para o sueco, não havia problemas de disciplina até porque, recorda, foi orientado por dois treinadores exigentes do ponto de vista disciplinar: Fabio Capello e José Mourinho.

"Tive os treinadores mais duros do mundo. Trabalhei com Capello, que era uma máquina, tudo à volta da disciplina e respeito. E não tive qualquer problema, porque resolvíamos tudo. E tive Mourinho, que é conhecido por toda a gente, que não tolera nada. Mais uma vez, sem qualquer problema", explicou.

Para o jogador de 36 anos, Guardiola não soube lidar com ele, razão pela qual deixou de lhe falar.

"Quando me compram, compram um Ferrari; e quando tens um Ferrari abasteces com combustível premium, vais para a estrada e carregas no acelerador. Guardiola abasteceu o Ferrari com diesel e deu uma volta pelo campo. Se era isso que ele queria, devia ter comprado um Fiat", atirou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.