O Clube de Chibuto alcançou pela primeira vez a final da Taça de Moçambique em futebol, ao eliminar nas meias-finais o histórico Grupo Desportivo Maputo, com um agregado de quatro zero ao cabo de duas mãos desta eliminatória.

Depois de alcançar uma primeira vantagem na partida da primeira mão em que ganhou com 4-0, o Chibuto veio à Maputo com intuito de conservar esse precioso avanço, numa semana em que os «Guerreiros» de Gaza viram a direcção mudar de treinador principal, com a demissão do português Victor Pontes e ascensão de Mussá Osmane, anterior director Técnico.

Ao longo da primeira parte, o Desportivo Maputo fez o que lhe competia, ou seja procurou chegar ao golo, chegando mais vezes ao último reduto contrário, mas sem a eficácia que lhe competia.

O Chibuto resguardou-se bem na defensiva, não abrindo espaços para que os «alvi-negros» lograssem os seus intentos.

Na segunda parte a tendência do jogo manteve-se, mas notou-se uma maior maturidade por parte dos visitantes que justificaram o facto de estarem a jogar no Moçambola, perante uma equipa que luta pelo regresso à principal prova do Futebol moçambicano que mostrou-se muita ousadia.

Nem a história muito menos o facto de ser a única equipa da cidade de Maputo presente nas meias-finais, ajudou ao Desportivo chegar ao que pretendia, pese embora tenha tido maior posse de bola ao longo dos 90 minutos.

O Chibuto chega assim à sua primeira final da Taça de Moçambique aonde no dia 24 de Novembro vão defrontar o Ferroviário da Beira, partida que terá lugar no Estádio Nacional do Zimpeto ou no Estádio Municipal de Vilankulos, dependendo da anuidade do dois clubes e do patrocinador da prova.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.