O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, condecorou hoje 26 personalidades, incluindo o falecido futebolista Mário Coluna, o escritor Mia Couto, o histórico da Frelimo Marcelino dos Santos e a viúva do primeiro presidente do partido, Janet Mondlane.

Perante altos dirigentes do Estado moçambicano, incluindo os ex-presidentes Joaquim Chissano e Armando Guebuza, as 26 individualidades foram agraciadas por Filipe Nyusi por ocasião do 40.º aniversário da independência do país, que se assinala na quinta-feira.

Mário Coluna, antigo capitão da seleção portuguesa e do Benfica, recebeu, a título póstumo, a Medalha de Mérito Desportivo, a mesma atribuída à campeã mundial e olímpica dos 800 metros, Lurdes Mutola.

O escritor Mia Couto recebeu a Medalha de Mérito de Artes e Letras e o cofundador da Frelimo (Frente de Libertação de Moçambique), criada em 1962, Marcelino dos Santos, um dos líderes destacados da organização, foi condecorado com o título honorífico Herói da República de Moçambique, que também foi atribuído a Feliciano Gundana, outro cofundador da Frelimo e dirigente da organização.

A moçambicana nascida nos EUA Janet Rae Johnson Mondlane, viúva do cofundador e primeiro presidente da Frelimo, Eduardo Mondlane, recebeu a Ordem Eduardo Chivambo Mondlane do 1.º Grau, enquanto o escritor Rui Nogar foi agraciado, postumamente, com a Ordem Eduardo Chivambo Mondlane do 2.º Grau.

O padre e médico italiano Aldo Marchezini foi o único estrangeiro condecorado, tendo recebido o título de Cidadão Honorário da República de Moçambique.

Filipe Nyusi também atribuiu a Medalha Bagamoyo e Medalha Veterano da Luta de Libertação de Moçambique ao Arquivo Histórico de Moçambique e a vários combatentes da luta de libertação nacional.

Falando após as condecorações, o chefe de Estado moçambicano afirmou que o gesto visa enaltecer a prestação de alguns dos melhores filhos do país e de outras nacionalidades em prol do desenvolvimento da pátria moçambicana.

"Esta solenidade valoriza e reconhece os feitos de valor incomensurável protagonizados por alguns dos melhores filhos da pátria nas conquistas do Estado moçambicano", assinalou Filipe Nyusi.

A cerimónia principal do aniversário da independência de Moçambique decorre na quinta-feira no estádio da Machava, arredores de Maputo, onde há quarenta anos Samora Machel, primeiro Presidente moçambicano, proclamou a independência do país.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.