"Apelamos aos cidadãos e aos visitantes a ter atenção à sua segurança pessoal e à dos que os acompanham. Trabalhando em conjunto, podemos garantir a segurança da competição para todos", afirmou o porta-voz do governo, Themba Maseko, em comunicado.

Cerca de "40 000 polícias estão destacados para a protecção do Campeonato do Mundo" e "150 000 outros agentes ficam disponíveis para as operações de policiamento clássico".

Horas antes, a polícia sul-africana anunciou a detenção de três homens, suspeitos do assalto à mão armada a dois jornalistas portugueses e um espanhol que acompanham o Mundial de futebol de 2010, na quarta-feira, em Magliesburgo.

"A polícia local, os investigadores e os agentes dos serviços de informação uniram esforços e seguiram várias pistas, o que conduziu à detenção de três homens na noite de 9 para 10", informa um comunicado.

Na terça-feira, quatro jornalistas chineses também foram vítimas de assalto à mão armada, em Joanesburgo, quando vários homens atacaram o seu carro de aluguer e levaram dinheiro e uma câmara fotográfica.

Com elevados índices de criminalidade, nomeadamente uma média a rondar 50 homicídios por dia, a África do Sul espera 300 000 visitantes estrangeiros durante o Mundial2010 (11 de Junho a 11 de Julho) e por isso investiu 1,3 mil milhões de rands (cerca de 140 milhões de euros) para reforçar a segurança e recrutou 44 000 agentes para a ocasião.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.