A equipa orientada por Diego Maradona é a melhor posicionada neste momento, mas, deste agrupamento, ainda está tudo por definir, pois também Grécia, Coreia do Sul e Nigéria têm hipóteses de entrar na fase a eliminar.

Do quarteto, os africanos são os que estão em pior situação, pois têm de bater a Coreia do Sul e esperar que a Argentina faça o mesmo aos gregos. Mesmo assim, só depois de feitas as contas do desempate, já que neste cenário, asiáticos, europeus (campeões do Euro2004) e africanos terminarão com os mesmos pontos (três, contra nove dos sul-americanos).

Os números actuais colocam a Argentina no topo (com mais três pontos que gregos e sul-coreanos) e podem encorajar Maradona a fazer várias mexidas no “onze”, embora o antigo “astro” argentino já tenha assegurado que não abdicará da maior jóia da equipa, Lionel Messi.

"Ter um jogador do nível de ‘Lio’ (Messi), sem dúvida o melhor do Mundo, com grande diferença para todos os outros, e deixa-lo de fora era um pecado não colocá-lo a jogar", admitiu o seleccionador argentino.

Entre os gregos, o ambiente é de optimismo e todos acreditam que os campeões europeu de 2004 se qualificarão pela primeira vez para os oitavos de final, depois de na jornada anterior se terem estreado a vencer na fase final de um Mundial.

"O jogo com a Nigéria (vitória por 2-1) foi quase uma final para nós. Acredito que agora estaremos muito mais relaxados e confiantes em conseguir um bom resultado", sublinhou o defesa Sokratis Papastathopoulos.

Apesar do cenário mais cinzento entre o quarteto do Grupo B, o seleccionador da Nigéria, o sueco Lars Lagerback, ainda acredita que é possível chegar à segunda fase, com "uma ajuda da Argentina".

"O positivo nisto tudo é que continuamos a ter hipóteses de qualificação, embora dependentes de uma ajuda da Argentina. Da nossa parte, se começarmos bem o jogo, vamos conseguir vencer a Coreia do Sul", prognosticou o técnico da Nigéria.

O técnico sul-coreano, Huh Jung-moo, também acredita no apuramento, mas deixa o aviso para os seus pupilos, depois da goleada sofrida com a Argentina (4-1).

"O jogo com a Nigéria não vai ser fácil. Os jogadores da Coreia do Sul têm de fazer mais e melhor do que no último jogo. Temos de ser mais sólidos e organizados, sobretudo na defesa", alertou o técnico.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.