Sobre o encontro com os alemães, Maradona afirmou que o primeiro golo mudou o rumo do jogo: “Tínhamos tudo estudado mas no primeiro cruzamento que fazem marcam um golo e aí começou um jogo novo. Facilitámos e eles, em vantagem, começaram a ter as ideias que não tiveram em todo o Mundial. O resultado não espelha o que foi o jogo. Não perdi o orgulho nos meus jogadores, quero agradecer-lhes e também ao corpo técnico”.

E acrescentou: “Não se cumpriu o sonho, mas encontrou-se um caminho. O de respeitar o jogo argentino e de ir em frente. Posso sair amanhã, mas quero que estes rapazes continuem a demonstrar aquilo que é o futebol argentino, sem medo e sem mistérios”.

Agora, Diego Armando Maradona, sobre a sua continuidade à frente da selecção argentina, reconheceu “não ter forças”.

“Ainda não sei se fico. Temos de pensar bem no que vamos fazer. Tenho de falar com a família e com os jogadores. Dei conta que é este futebol que as pessoas gostam. Encarar os jogos de frente, ir para cima, jogar. Na Argentina não pode ser de outra forma”.

A Argentina diz adeus ao Mundial2010, depois de ter chegado aos quartos-de-final e ter sido humilhada pela Alemanha ao ver quatro golos entrar na baliza de Sergio Romero.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.