“O segundo golo é questionável e fez-nos muito mal, na medida em que nos obrigou a destapar-nos, a expor-nos”, disse Drogba, lembrando que o árbitro perguntou a Luís Fabiano “se tinha tocado a bola” com a mão e que este “respondeu que não”.

Com esta derrota, Drogba considera que a qualificação para os oitavos de final “está difícil e que não depende apenas da Costa do Marfim”, que luta pelo apuramento com Portugal e com a Coreia do Norte.

Rejeitou estar deprimido, preferiu antes dizer “decepcionado”, por entender que “o crescimento que a equipa tem tido desde o último Mundial justificava que fosse “mais ambiciosa e atrevida”, mas resignou-se com a expressão “é futebol...”.

Quanto à badalada fractura do braço direito, limitou-se a um comentário lacónico: “Está bem, obrigado!”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.