O seleccionador dinamarquês de futebol disse hoje que o auto-golo de Simon Poulsen, que considerou um dos melhores em campo, foi um “balde de água fria” na derrota com a Holanda (2-0), para o Grupo E do Mundial2010.

"Foi como um balde de água fria nas nossas cabeças. O Simon Poulsen foi um dos melhores jogadores, mas teve azar e é uma das coisas que acontecem no futebol", disse Morten Olsen, em alusão ao golo que abriu caminho à vitória holandesa.

Morten Olsen felicitou o adversário pela vitória mas não deixou de vincar que o auto-golo acabou por condicionar o rumo do jogo.

"Felicito a Holanda pela vitória. Teria sido diferente se não tivéssemos sofrido aquele primeiro golo (autogolo). Essa situação coloca a Holanda a jogar como queria."

Em relação à titularidade de Bendtner, Morten Olsen explicou porque havia dito que o avançado dinamarquês não iria jogar frente aos holandeses.

"Não fiz bluff em torno de Bendtner. Ele não devia ter jogado, mas Jon Dahl Thomasson e Daniel Jensen estavam tocados e nós não temos as mesmas opções ofensivas que a Holanda."

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.