‘La Bella Italia’ não foi hoje tão eficaz como costuma ser e por isso deixou a Cidade do Cabo com um amargo empate (1-1) diante de um Paraguai sólido e bem organizado.

A equipa comandada pelo experiente Marcello Lippi jogava hoje para vencer os sul-americanos e o pessimismo que rodeia a sua equipa. De facto, a ausência de referências recentes, como Totti ou Luca Toni levanta dúvidas sobre a sua força, mas reza a história dos Mundiais que é preciso contar sempre com a Itália.

Esta noite, os italianos entraram ao ataque e, coisa rara, foi quase sempre assim, ainda que sem acutilância, face à inépcia de Iaquinta ou Gilardino. Qual ‘lobo em pele de cordeiro’, o Paraguai pareceu durante demasiado tempo ser inofensivo, o que terá enganado os campeões do Mundo.

Com efeito, a equipa de Gerardo Martino usou as armas habituais dos italianos e conseguiu assim travar o seu maior poderio. Assente numa organização defensiva muito coesa e sem arriscar na sua estratégia, os paraguaios foram resistindo ao maior assédio adversário, sem lhes consentir grandes veleidades.
Assim, o golo do Paraguai surgiu algo contra a corrente. Na sequência de um livre, Alcaraz subiu mais alto e cabeceou sem hipóteses para Buffon. Estava feito o 1-0 para o Paraguai e a surpresa instalava-se no estádio Green Point, na Cidade do Cabo.

Com um Cabo das Tormentas para dobrar, a equipa de Marcello Lippi voltou do intervalo sem Buffon, mas ainda com mais propensão ofensiva. Todavia, era o Paraguai que conseguia mais perigo através de venenosos contra-ataques e Vera chegou mesmo a ter o 2-0 nos pés, mas o remate saiu por cima da baliza.

Sem conseguir chegar pelos seus próprios meios, a Itália aproveitou o único erro do Paraguai e fez o empate. Aos 63 minutos, Justo Villar sai mal dos postes, falha a bola e De Rossi só teve de esticar a perna para fazer o 1-1. Não deixava de ser um prémio merecido para os italianos, mas era também revelador das dificuldades ‘azzurri’ para ser perigosa esta noite.

Lippi apostou ainda em Camoranesi e Di Natale, mas a maior presença na área paraguaia não encontrou expressão no resultado. Já o Paraguai tentou também ser feliz, com a entrada de Roque Santa Cruz e Cardozo, mas o avançado do Benfica não teve oportunidades.

O grupo F arranca assim com mais um empate, que não deixa de ser uma surpresa para a equipa campeã do Mundo. Aos paraguaios, o resultado abre boas possibilidades para seguir em frente no Mundial.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.