O técnico falava no final de um almoço de trabalho com o presidente da Câmara da Covilhã, numa das unidades hoteleiras que deve receber a Selecção.
“Não posso confirmar (a presença na cidade) antes de o presidente da Câmara e da Federação o dizerem, mas em termos de concepção e preparação, esta Covilhã foi desenhada para as exigências que se colocam para a selecção poder ter boas prestações na África do Sul”, disse Queiroz.

De acordo com o seleccionador luso, falta pouco: “O meu parecer está dado, absolutamente. É uma questão de detalhes”, sublinhou, adiantando que a selecção deverá realizar “um jogo de preparação” que se deverá realizar no Complexo Desportivo da cidade - “casa” do Sporting da Covilhã na Liga de Honra.

No entanto, segundo referiu o presidente da Câmara da Covilhã, Carlos Pinto, estão também previstas actividades no Estádio Municipal José Santos Pinto, na zona mais alta da cidade, na estrada para a Serra da Estrela.

Segundo acrescentou, está previsto que a selecção fique alojada no Hotel Turismo da Covilhã, à porta do Complexo Desportivo da cidade e também no Hotel Penhas da Saúde, a 1200 metros de altitude, na Serra da Estrela.

De acordo com o seleccionador, “é uma questão de pôr todo o programa de pé, ver as nuances, por exemplo, para movimentar jogadores de um lado para outro e questões técnicas”.

Pormenores relacionados “com o ginásio, com problemas de recuperação (dos jogadores) e preparar as condições do campo para termos aqui a selecção a preparar bem o Mundial”.

O estágio deverá decorrer “a partir de 12 ou 13 de Maio, praticamente até à nossa partida, a 01 ou 02 de Junho”, referiu, mas sem adiantar pormenores sobre quem pode jogar com Portugal.

“Há várias equipas previstas. Vamos jogar só com equipas de cariz africano porque o nosso primeiro jogo é contra a Costa do Marfim. Mas esses detalhes a Federação irá anunciar”, explicou.

De acordo com Carlos Pinto, presidente da Câmara da Covilhã, “a selecção exige um conjunto de custos que estão a ser negociados com a Federação e que solicitam a colaboração orçamental da Câmara, mas as questões logísticas estão todas resolvidas. Não será difícil a Federação dar a última palavra e anunciar a vinda para a Covilhã”.

Em causa estariam sobretudo questões de segurança e privacidade. “Nós oferecemos tudo o que de melhor há no nosso país para que a nossa selecção tenha um bom tempo de preparação antes de ir para a África do Sul”, concluiu o autarca.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.