Portugal vai em 2018 participar pela sétima vez na sua história, quinta consecutiva, num campeonato do mundo de futebol, que vai ter lugar na Rússia e com a seleção nacional a ter o estatuto de campeã europeia.

Dois anos após o triunfo no Euro2016, que decorreu em França, a formação lusa volta a disputar uma grande competição, a maior de todas entre seleções, e entra na lista dos candidatos a chegar à final da prova, muito por ‘culpa’ do sucesso que teve em terras gaulesas, mas não só.

Desde que é comandado por Fernando Santos, que entrou em funções em setembro de 2014, Portugal apenas por uma vez foi derrotado em jogos oficiais, precisamente no arranque da qualificação para o Mundial2018, na Suíça, por 2-0, num encontro em que Cristiano Ronaldo esteve ausente, devido a lesão.

Com o capitão em campo e com Santos no banco, a seleção nacional nunca sofreu um desaire e o único momento negativo aconteceu na Taça das Confederações, em junho de 2017, quando foi afastada pelo Chile, nas meias-finais (0-0, 3-0 nas grandes penalidades).

Com Marrocos e Irão, de Carlos Queiroz, o sorteio deixou a seleção nacional com caminho quase livre para chegar aos oitavos de final, embora tudo aponte que irá disputar o primeiro lugar do Grupo B com a Espanha, antiga campeã mundial.

Contudo, a presença dos espanhóis na Rússia poderá estar em risco, devido à alegada ingerência do governo do país em assuntos da federação (RFEF), algo que é estritamente proibido pela FIFA.

Caso confirme o favoritismo, Portugal vai defrontar nos ‘oitavos’ os apurados do Grupo A, com a anfitriã Rússia e o Uruguai a serem os principais candidatos, e só nos quartos de final é que poderá ‘apanhar’ com um dos ‘tubarões’, como a Argentina, de Lionel Messi, ou a França.

A seleção nacional tem pelo menos a obrigação de fazer melhor do que em 2014, no Brasil, em que foi eliminado na fase de grupos, na altura sob o comando de Paulo Bento.

Em Mundiais, Portugal teve a sua melhor campanha em 1966, em Inglaterra, com Eusébio, tendo terminado no terceiro lugar. Em 2006, na Alemanha, a equipas das ‘quinas’ também alcançou as meias-finais, mas terminou no quarto posto.

Portugal estreia-se com a Espanha, orientada pelo ex-treinador do FC Porto Julen Lopetegui, a 15 de junho, em Sochi, defronta Marrocos a 20, em Moscovo, e fecha a 25, em Saransk, com o Irão, de Queiroz.

No topo da lista dos favoritos aparece a Alemanha, detentora do título, e o Brasil, que foi a primeira seleção a garantir o apuramento para a fase final da competição, com apenas uma derrota em 18 jogos na zona sul-americana.

A Itália, que disputou todos os Mundiais desde 1958, vai ser a grande ausência na Rússia, assim como os Estados Unidos, que vinham de sete presenças seguidas. O Panamá apurou-se pela primeira vez e o Peru vai regressar, após 36 anos de ausência.

A fase final do Mundial de futebol de 2018 vai ser disputada na Rússia, de 14 de junho a 15 de julho.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.