O selecionador do Uruguai, Óscar Tabárez, enalteceu a dedicação e o compromisso dos seus jogadores após a vitória sobre Portugal (2-1), que permitiu aos sul-americanos avançarem para os quartos-de-final do Mundial 2018. O técnico falou ainda na dificuldade em marcar Cristiano Ronaldo.

"Acho que a característica específica do triunfo foi a dedicação de todos os jogadores em campo. Isto é parte da forma como vemos o futebol. Foi difícil. O adversário tinha posse de bola, muitas vezes na nossa metade do campo, o que podíamos ter melhorado, controlar melhor a bola e conseguir levá-la mais para o campo deles. Intensidade, foco, intuição, tática e os erros são sempre competitivos. Cometemos um que levou ao golo do empate, mas temos uma equipa muito forte, com atitude e mentalidade. Estou muito feliz. Preparámo-nos para isso. O Cristiano Ronaldo tem liberdade para estar em todo o lado. Tivemos de marcá-lo bem. Sabemos que finaliza muito bem. Ele vai para as laterais, para a área, está sempre em movimento. Isso faz parte. Tens de te concentrar e tentar impedir as suas tentativas e finalização e isso é muito difícil, dá muito trabalho. Mas ele não é o único, pois Portugal tem vários outros jogadores mostraram excelência", começou por dizer.

O técnico viu Edinson Cavani (autor dos dois golos) sair lesionado da partida, mas não adiantou grandes detalhes em relação à gravidade do problema físico, falando também já da França, adversária do Uruguai na próxima fase do Mundial.

"Tivemos uma lesão (Cavani), vamos ver o que acontece. Vamos apoiar e apostar na força da equipa, para combater qualquer rival e adversário. França será obstáculo forte. Cavani saiu lesionado. Estava com uma dor. Não falei com a equipa médica. Jogo acabou agora. Em cinco dias temos um jogo, não há muito tempo para recuperação, mas depois de bom descanso e certo tempo vamos ver. Vamos analisar e ver diagnóstico. Estamos só preocupados, não sabemos com certeza a gravidade da lesão dele. Não posso analisar detalhadamente a França, mas é uma equipa muito forte, com dois avançados muito fortes. O Mbappé e o Griezmann são jogadores com muita velocidade, excecionalmente rápidos. Vai ser muito difícil para nós, mas vamos tentar o nosso melhor. Tentar impor o nosso jogo, com os nossos pontos positivos, sem pressão adicional. Estamos aqui para jogar até à final. Vamos ver se vamos conseguir ou não", referiu.

Chegados aos quartos de final, Tabárez acredita que é preciso manter a humildade.

"Frequentemente há pressuposto errado de que a posse de bola leva à marcação de golos. Aprendi em Itália que não é assim. Em Itália, a posse de bola não é santificada como em outros países. Mesmo sem posse de bola, conseguimos atacar. Não digo que vamos continuar a jogar assim, mas vamos tentar a melhor forma de jogo para nós e que adversário nos permita jogar. Adversários estão a tornar-se cada vez mais difíceis e fortes, mas estamos em boa posição. Onde poucos esperavam. Estamos aqui pelos nossos pais, nossos irmãos, família e amigos. Demos tudo de nós. Esta noite o esforço foi muito superior ao normal. Humildade é o segredo do sucesso. A ganhar e a perder. Não estivemos longe de um resultado diferente", concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.