A organização do Mundial2022 de futebol do Qatar teme que a recessão global criada pela pandemia de covid-19 coloque em causa a presença de espetadores, que podem não ter capacidades para suportar os custos das viagens.

Segundo o secretário-geral do Comité organizador, Hassan Al Thawadi, a realização do Mundial2022 naquele país asiático é uma oportunidade para o mundo se reunir novamente, mas salienta que “existem preocupações com economia global e com a capacidade dos adeptos em pagarem as suas viagens para participarem e celebrarem o Campeonato do Mundo”.

Al Thawadi frisa que o plano da organização passa por estabelecer preços viáveis para os espetadores e para todos os envolvidos no evento.

“[Ter] um preço acessível para os fãs e uma faixa de preço viável, funcional para a indústria, para prestadores de serviços e para a cadeia de suprimentos”, sustentou.

Após a declaração de pandemia, em 11 de março, as competições desportivas de quase todas as modalidades foram disputadas sem público, adiadas – Jogos Olímpicos Tóquio2020, Euro2020 e Copa América -, suspensas, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais, ou mesmo canceladas.

Os campeonatos de futebol de França, Países Baixos, Bélgica e Escócia foram cancelados, enquanto outros países preparam o regresso à competição, com fortes restrições, como sucede em Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal, que tem o reinício da I Liga previsto para 04 de junho, depois de a Liga alemã ter sido retomada no sábado.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.