O português Carlos Queiroz já não é o treinador da Colômbia, anunciou a Federação Colombiana de Futebol (FCF), após as derrotas contra Uruguai e Equador na qualificação para o Campeonato do Mundo de 2022.

A FCF "e o diretor técnico Carlos Queiroz concordaram com a não continuidade do treinador à frente da seleção", pode ler-se no comunicado datado de terça-feira

"Para a FCF foi um orgulho tê-lo durante quase dois anos, nos quais nos brindou com toda a sua capacidade de trabalho, conhecimento e experiência", salienta a federação na nota.

"A contribuição que nos deixa servirá para continuar o desenvolvimento dos projetos que estão a ser levados a cabo com todas as seleções do nosso país", acrescenta.

Carlos Queiroz, de 67 anos, deixou o comando da seleção da Colômbia após sofrer duas derrotas consecutivas na terceira e quarta jornadas do apuramento sul-americano para o Mundial de 2022.

Primeiro, perdeu em casa por 3-0 para os uruguaios e depois sofreu uma goleada humilhante de 6-1 na visita ao Equador, a pior derrota da Colômbia em quatro décadas.

O português assumiu o comando da Colômbia em fevereiro de 2019 com o desafio de igualar ou superar o que foi conquistado pelo seu antecessor, José Pekerman, que levou a seleção do país aos Mundiais de Futebol de 2014 e 2018.

Além do Real Madrid (2003-2004) e da seleção portuguesa (1991-1993 e 2008-2010), Queiroz foi adjunto de Alex Ferguson no Manchester United (2002-2003 e 2004-2008) e também treinou o Sporting (1993-1996), os Emiratos Árabes Unidos (1997-1999) e a África do Sul (2000-2002).

A Colômbia ainda não anunciou o sucessor de Carlos Queiroz.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.