O presidente da Real Federação Espanhola de futebol (RFEF), Luís Rubiales, voltou hoje atrás e admitiu que errou ao beijar na boca a internacional Jenni Hermoso, num gesto sem consentimento e que foi amplamente criticado.

Na cerimónia após a conquista no domingo do primeiro título mundial feminino da Espanha, equipa que bateu na final em Sydney a campeã europeia Inglaterra (1-0), Rubiales abraçou a número 11 espanhola, agarrou-a no rosto e, ato contínuo, deu-lhe um beijo.

A situação motivou diversas críticas dos mais variados setores e entre as quais da ministra da defesa espanhola, Margarita Robles, que considerou o gesto absolutamente “inaceitável”, mostrando-se solidária com a jogadora.

A responsável admitiu que a situação ocorreu num momento de grande euforia, mas considerou ser, ainda assim, inaceitável.

Entretanto, num vídeo divulgado pela Federação, Rubiales reiterou que a situação ocorreu num dos dias mais felizes do futebol espanhol, mas num ‘tímido’ ato de contrição lamentou o gesto.

“Tenho de lamentar o que se passou entre uma jogadora e eu. Temos uma relação magnífica, à semelhança do que acontece com as outras, mas equivoquei-me. Tenho de o reconhecer, depois de um momento de máxima euforia, sem qualquer intenção má, sem má-fé, aconteceu o que aconteceu, de maneira muito espontânea, sem má-fé de nenhuma das partes”, justificou.

Um gesto que teve grande repercussão e foi criticado igualmente pela ministra para a Igualdade, Irene Montero, e pelo responsável pela pasta do Desporto, Miquel Iceta, que, tal como Margarita Robles, exigiram desculpas e explicações a Rubiales.

O dirigente admitiu hoje ter de “aprender” com o que se passou, mas sem nunca abordar a questão do consentimento, focando-se no seu papel institucional e na imagem enquanto presidente da Federação.

No domingo, Rubiales tinha considerado uma idiotice estarem a censurar o beijo, mas hoje disse compreender que quem viu as coisas a partir de fora pode ter um outro entendimento e que por isso pede desculpa a essas pessoas.

Ainda de acordo com o dirigente, a situação deixou-o triste também por “manchar” um momento de grande felicidade, face ao maior sucesso da história da seleção feminina de futebol.

No próprio dia da final, Jenni Hermoso começou por dizer, num direto que efetuou enquanto comemorava o título, sorridente com as companheiras de equipa, não ter gostado do gesto do presidente da RFEF, mas que não teve como reagir.

Já hoje, a jogadora reagiu em comunicado, divulgado pela Real Federação, desvalorizando o que aconteceu.

"Foi um gesto mútuo totalmente espontâneo devido à imensa alegria de ganhar um Mundial. O presidente e eu temos uma ótima relação, o comportamento com todas é excelente e foi um gesto natural de afeto e gratidão. Ganhámos um Mundial e não nos vamos desviar do que é importante", disse a futebolista dos mexicanos do Pachuca.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.