O presidente da Associação Europeia de Clubes (ECA, na sigla inglesa) reiterou hoje a rejeição do organismo que lidera à organização de um campeonato do mundo de futebol de dois em dois anos.

Segundo Nasser Al-Khelaifi, presidente do Paris Saint-Germain, a posição “é muito clara desde setembro”, quando se pronunciaram pela primeira vez sobre a ideia que a FIFA tem levantado, e discutido, para reduzir o intervalo entre Mundiais de quatro para dois anos.

As declarações foram feitas na assembleia-geral do organismo, em Viena, em que foi anunciada a renovação de um memorando de entendimento com a UEFA e de uma doação de um milhão de euros para ajuda humanitária na Ucrânia.

Este valor é ainda prematuro e pode subir, além do apoio dos clubes a jovens jogadores daquele país, com a ECA em contacto com o Conselho dos Direitos Humanos das Nações Unidas (ACNUR).

A “sustentabilidade financeira e as regras de ‘fair play’” nesse campo, motivo de acordo com a UEFA, cujo novo regulamento trará “melhor controlo de custos e uma garantia de um futuro sustentável do futebol a longo prazo”.

“A UEFA incorporou muitos dos comentários da ECA, feitos em nome dos mais de 240 clubes associados, incluindo a necessidade de regras simples, justas, transparentes e exequíveis, que esperamos implementadas em breve”, acrescentou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.