O secretário de Estado espanhol do Desporto afirmou hoje que seria “a cereja no todo do bolo” poder organizar, conjuntamente com Portugal, o Mundial de futebol de 2018 ou 2022, depois da selecção se ter sagrado campeã mundial este ano.

“Era a cereja no topo do bolo, neste ano marcado pela maior proeza colectiva do desporto espanhol, a conquista do Mundial 2010. Estou confiante e até estou convencido que será o de 2018”, afirmou Jaime Lissavetzky

“Falámos de segurança, de transportes, de comunicações e de estádios”, referiu o ministro espanhol do Interior, Alfredo Perez Rubalca, acrescentando: “Não fizemos valer o título de campeões de Mundo, apesar de em algumas ocasiões o termos dado a entender”.

O grupo de inspectores da FIFA, liderado pelo presidente da federação chilena, Harold Mayne-Nicholls, chegará a Portugal quarta-feira, tendo agendadas visitas ao auditório de Santa Maria da Feira, possível cenário para o sorteio da fase de qualificação, e os estádios do Dragão e da Luz.

Os inspectores da FIFA terão ainda que realizar duas visitas adicionais, aos Estados Unidos e ao Qatar, antes de iniciarem o processo de deliberação.

A decisão de outorgar a realização das fases finais do Mundial de Futebol de 2018 e 2022 será conhecida a 22 de Dezembro em Zurique.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.