O pontapé de saída para os oitavos de final do Mundial deu-se no Estádio Internacional Khalifa, no Qatar, entre Países Baixos e Estados Unidos, com a laranja mecânica a sorrir no final da eliminatória após o 3-1 final perante os norte-americanos.

Já se conhece assim o primeiro nome a constar entre os oito melhores do Mundial, mas olhemos então para um jogo que, refira-se, apenas ganhou vida depois dos 75 minutos.

Desde o apito inicial do árbitro Wilton Sampaio se percebeu que os Países Baixos eram os reais favoritos à vitória na eliminatória.

Com Depay enquanto principal destaque da equipa, a primeira grande oportunidade deu logo em golo para a Laranja Mecânica. Depay respondeu de forma acertiva a um cruzamento de Dumfries e a bola só parou no fundo das redes norte americanas.

O avançado do Barcelona continuava a ser o mais inconformado e endiabrado na frente de ataque dos neerlandeses. Aos 21 minutos, esteve perto do segundo, mas os Estados Unidos ainda se mantinham vivos.

Aquele que já parecia ser o sentenciar da eliminatória deu-se ainda antes do intervalo. Aos 46 minutos, Daley Blind, um histórico dos Países Baixos, voltou a aparecer na grande área para emendar com sucesso mais uma jogada bem sucedida. Os Estados Unidos voltavam a ficar mal na fotografia e o tempo de intervalo era essencial para mudar algo na equipa de Gregg Berhalter.

No segundo tempo foi mesmo preciso esperar pelos minutos finais para a disputa realmente aparecer. Bergwijn e Koopmeiners eram chamados a jogo do lado por Van Gaal, enquanto que dos Estados Unidos apenas entrava Reyna.

Aos 49 minutos, Tim Ream viu Gapko a virar herói e a evitar o 2-1 mesmo em cima da linha de golo.

O jogo começava a ficar perigoso e tudo voltou a ficar em discussão aos 76 minutos, quando Wright reduziu para 2-1 num golo que podia ser Puskás, mas pelo menos, pode ser visto como 'caricato'. Só vendo é que percebemos como realmente o jogador norte americano provavelmente não tinha a real intenção de colocar a bola no fundo das redes.

O 2-2 podia ter chegado dois minutos depois, mas o guardião dos Países Baixos mostrava-se seguro na saída entre os postes.

Como quem não marca sofre, Dumfries fechou a contagem definitivamente aos 81 minutos, terminando o sonho norte americano com o 3-1.

Com este triunfo, os Países Baixos são assim a primeira seleção apurada para os quartos de final do Mundial, depois de, recorde-se, terem falhado a última edição da competição em 2018.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.