"Temos equipa para ser bicampeões, mas quando terminar o Mundial penso nas férias e depois no Benfica. Temos a esperança de ser bicampeões e fazer boa figura a nível internacional". Foram estas as palavras de Maxi Pereira sobre o seu futuro no Benfica, minutos depois de ter perdido com o Uruguai a hipótese de disputar a final do Campeonato do Mundo.

Sobre as chegadas de Nicolás Gaitán e Franco Jara, o defesa mostra-se tranquilo relativamente ao seu sucesso: "Se estão no Benfica têm de ser bons jogadores. As pessoas responsáveis pela escolha do plantel são inteligentes".

O negócio entre Sporting e FC Porto por João Moutinho também já é do conhecimento de Maxi Pereira. "Já vi que fui para o FC Porto, mas não me interessa o que acontece nas outras equipas. Preocupo-me com o Benfica, onde estou muito feliz. Os adeptos são muito bons para mim", comentou.

Em análise ao Mundial do Uruguai, Maxi Pereira não escondeu o orgulho. "Fizemos um grande torneio, enfrentámos uma selecção muito difícil com grandes jogadores. O mais importante foi ter dado tudo", disse, destacando a esperança que o seu golo nos minutos finais despertou na equipa: "Estivemos a um passo da final. Faltou-nos o terceiro golo para empatar, demos tudo, mas fica uma sensação amarga de não poder chegar a uma final do Campeonato do Mundo, que era demasiado para nós. Ainda nos falta um jogo, queremos ser terceiro no Mundial, o que não é pouco para o Uruguai."

Confrontado com as críticas do colega Fucile ao árbitro português Olegário Benquerença, que dirigiu os uruguaios contra o Gana nos quartos-de-final, Maxi não alinhou no mesmo discurso: "Esse jogo já passou, o mais importante é que ganhámos e não vou analisar esses temas. O mais importante é nós jogadores fazermos o nosso trabalho."

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.