Numa assembleia geral em que esteve em discussão o relatório e contas do último ano, aprovado com 0,0133 por cento de votos contra, os accionistas aprovaram um orçamento de 81,5 milhões de euros de despesas correntes e 89,9 de receitas, com a particularidade de não estarem previstas verbas provenientes da transferência de jogadores para além das já realizadas (Lisando Lopez, Cissokho, Ibson e Paulo Machado) e que só serão contabilizadas no exercício que termina em Julho de 2010.

Segundo fonte do FC Porto, as receitas de 89,9 milhões de euros estão já todas garantidas, à excepção dos cerca de 16 milhões de euros que a SAD inscreveu no orçamento como receita da Liga dos Campeões e que ficará integralmente assegurada caso a equipa consiga o apuramento para os oitavos-de-final, beneficiando do aumento de cerca de 30 por cento decidido pela UEFA nos prémios da Champions.

A administração da SAD informou ainda os accionistas que as dívidas a bancos, que no final do exercício eram de 76 milhões de euros, foram reduzidas em 17 milhões de euros no final de Setembro, quando fecharam as contas do primeiro trimestre, que só serão conhecidas no final de Novembro.

Finalmente, a administração reafirmou que só receberá os prémios previstos pela comissão de vencimentos em caso de vitória nas competições, rejeitando a remuneração variável no caso de ser segunda, terceira ou quarta classificada.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.