O Benfica regista, até ao momento, um saldo positivo no que diz respeito às entradas e saídas de jogadores no ano de 2010, com 3,8 milhões de euros de lucro nas transacções de atletas.

A menos de um mês do fecho do mercado de transferências, o campeão nacional é, aliás, o único clube dos chamados três “grandes” do futebol português que regista um saldo positivo, pois tanto FC Porto como Sporting apresentam números negativos.

A balança positiva, apenas correspondente às transferências realizadas desde o dia 01 de Janeiro deste ano, resulta da diferença entre os 37 milhões de euros encaixados com a venda de atletas e os 33,2 milhões gastos em aquisições.

Apesar do lucro alcançado, a formação da Luz é ultrapassada pelo Sporting de Braga, equipa portuguesa que mais beneficiou entre saídas e entradas de jogadores durante este ano, com quase 10,5 milhões de euros.

Para o proveito dos “encarnados” muito contribuíram as recentes vendas do argentino Angél di María, que saiu para o Real Madrid por 25 milhões de euros, e do brasileiro Ramires, que viu o campeão inglês Chelsea pagar 22 milhões pelo seu passe.

No caso do extremo argentino, ficou ainda estipulado que aos 25 milhões de euros poderão juntar-se mais cinco, dependentes da utilização do jogador, e outros seis, relativos aos prémios de performance desportiva, que poderão elevar o valor total para os 36 milhões.

No entanto, em ambos os casos, o Benfica acaba por não receber a totalidade dos valores acordados, pois já havia alienado parte dos passes dos dois jogadores.

Em Novembro de 2008, o clube da Luz vendeu à Gestifute, do empresário português Jorge Mendes, 10 por cento do passe do internacional argentino, por um milhão de euros, ganho acrescido de 4,4 milhões em Setembro do ano passado, quando outros 20 por cento foram vendidos ao Benfica Stars Fund.

Quanto ao brasileiro Ramires, o Benfica havia alienado, recentemente, 50 por cento do seu passe à empresa Jazzy Limited, por seis milhões de euros, pelo que as “águias” têm apenas direito a 11 dos 22 milhões pagos pelo Chelsea.

Assim sendo, os “encarnados” acabam por receber 17,5 milhões de euros pelos 70 por cento do passe de Di María e 17 milhões por Ramires.

Além dos dois internacionais, os “encarnados” já tinham somado mais 2,5 milhões de euros, em Janeiro, pelas vendas do lateral esquerdo romeno Laszlo Sepsi, que rumou ao Poli Timisoara, e do central brasileiro Edcarlos, contratado pelos mexicanos do Cruz Azul.

Por outro lado, as “águias” gastaram 33,2 milhões de euros em aquisições, começando por trazer do Brasil, a meio da época transacta, o médio Airton (ex-Flamengo) e os avançados Eder Luís (ex-Atlético Mineiro) e Alan Kardec (ex-Vasco da Gama).

A “conta” das aquisições fecha, já no início desta temporada, com cinco jogadores: o central português Fábio Faria (ex-Rio Ave), os argentinos Franco Jara (ex-Arsenal de Sarandí) e Nicolás Gaitán (ex-Boca Juniors), o guarda-redes Roberto (ex-Atlético de Madrid), contratação mais cara do Benfica para a nova época (8,5 milhões), e o jovem avançado espanhol Rodrigo (ex-Real Madrid).

ENTRADAS

Jogador           Clube              Valor (milhões de euros)

Roberto           Atl. Madrid (Esp)       8,5
Nicolás Gaitán    Boca Juniors (Arg)      8,4
Franco Jara       Arsenal Sarandí (Arg)   5,5
Airton            Flamengo (Bra)          3
Eder Luís         Atl. Mineiro (Bra)      3,5
Alan Kardec       Vasco da Gama (Bra)     2,3
Fábio Faria       Rio Ave                 2
Rodrigo           Real Madrid             Desconhecido

TOTAL: 33,2 milhões de euros.

SAÍDAS

Jogador           Clube              Valor (milhões de euros)

Di María          Real Madrid (Esp)       17,5
Ramires           Chelsea (Ing)           17
Edcarlos          Cruz Azul (Mex)         1,3
Sepsi             Poli Timisoara (Rom)    1,2

TOTAL: 37 milhões de euros.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.